Consultor Jurídico

Imposto sobre medicamento

MPF-SP denuncia ex-senador tucano por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Ex-senador Paulo Bauer (PSDB-SC)
Agência Senado

O Ministério Público Federal em São Paulo apresentou denúncia contra dez suspeitos de integrarem esquema para favorecer os interesses do grupo Hypermarcas no Senado Federal, entre 2013 e 2015.

As provas, segundo a peça acusatória, indicam que Paulo Roberto Bauer, então senador pelo PSDB em Santa Catarina, teria recebido indevidamente R$ 11,8 milhões com a ajuda do assessor parlamentar Marcos Antônio Moser.

Além de Bauer e Moser, foram denunciados Nelson José de Mello, João Alves de Queiroz Filho, Carlos Roberto Scorsi e Sílvio Tadeu Agostinho, então executivos da Hypermarcas; Nereu Antônio Martinelli, na época proprietário da Ycatu; Péricles Luiz Medeiros Prade (Prade e Prade), Murilo Hidalgo Lopes de Oliveira (Paraná Pesquisa) e Maurício Sampaio Cavalcanti (One Multimeios).

A ação penal é resultado das investigações realizadas a partir do acordo de colaboração firmado com Nelson José de Mello, ex-diretor de relações institucionais da Hypermarcas.

A PEC 115/2011, arquivada em 2018, sob a relatoria do então senador, alterava o regime tributário sobre medicamentos de uso humano.

Clique aqui para ler a íntegra da denúncia
Ação Penal 0005579-24.2019.403.6181

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 12 de fevereiro de 2020, 20h26

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 20/02/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.