Consultor Jurídico

Academia

Da Redação

STF Educa

Cursos à distância do Supremo têm mais de 3,6 mil inscritos

Nas primeiras 24 horas no ar, mais de 1,2 mil pessoas se inscreveram nos cursos online do STF Educa, projeto do Supremo Tribunal Federal em parceria com o Conselho Nacional de Justiça. Já são 3,6 mil inscritos em menos de uma semana.

"Introdução ao Direito Constitucional e ao Controle de Constitucionalidade" é o curso com mais inscritos até o momento.

Disponíveis na plataforma EaD do CNJ, as atividades são gratuitas e abertas a toda a sociedade. A maioria dos interessados optou pelo curso “Introdução ao Direito Constitucional e ao Controle de Constitucionalidade”, com 2 mil inscritos.

Em segundo lugar na preferência, até o momento, está o curso de “Atualização Gramatical” (1,4 mil inscritos), seguido pelo curso “Quando nasce um pai: orientações básicas sobre paternidade responsável” (168 inscritos). 

A ideia é que a oferta ocorra em ciclos de dois meses, como neste primeiro, que vai de fevereiro a março. Para o segundo ciclo, a ser iniciado em abril, já estão previstos mais dois cursos, além dos atualmente disponíveis.

A partir desses cursos iniciais, será possível analisar o perfil dos participantes e direcionar a capacitação aos temas de maior interesse. Ao preencher o formulário de inscrição, o usuário informa dados como escolaridade, renda familiar, cidade e se é servidor público (e de qual esfera).

Os cursos são elaborados por servidores do STF que atuam como instrutores internos. Eles são adaptados ao formato autoinstrucional para permitir o aprendizado autônomo, sem tutoria. A seleção dos temas oferecidos considera a baixa necessidade de atualizações legislativas e jurisprudenciais e a detenção dos direitos autorais pelo Supremo.

Ao final do curso, o aluno recebe certificado após cumprir os requisitos para aprovação: acesso a todas as aulas, aproveitamento mínimo de 70% nas atividades e preenchimento da avaliação de reação. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 11 de fevereiro de 2020, 12h38

Comentários de leitores

0 comentários

A seção de comentários deste texto foi encerrada.