Consultor Jurídico

Operação "calvário"

Ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho é preso ao chegar de Portugal

Após decisão do desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça da Paraíba, o ex-governador do estado Ricardo Coutinho (PSB) foi preso na noite desta quinta-feira (19/12), ao desembarcar no aeroporto internacional de Natal (RN), vindo de Lisboa (Portugal).

O ex-governador da PB Ricardo Coutinho

Ele teve sua prisão preventiva decretada nesta terça-feira (17/12) em uma operação da Polícia Federal que investiga um suposto desvio de R$ 134,2 milhões da área de saúde estadual.

Coutinho estava de férias na Europa e antecipou sua volta ao ser informado sobre a decisão judicial. Ao desembarcar em Natal, às 22h40, policiais federais já o aguardavam. O político foi encaminhado à sede da Polícia Federal em João Pessoa.

Acontece neste momento uma audiência de custódia, no TJ-PB, para decidir onde o ex-governador ficará preso.

A sétima fase da operação "calvário", desencadeada na última terça, também cumpriu mandados de busca e apreensão em locais ligados ao atual governador do estado, João Azevêdo (sem partido).

“Ricardo Coutinho era o responsável direto tanto pela tomada de decisão dentro da empresa criminosa quanto pelos métodos de arrecadação de propina, sua divisão e aplicação”, diz o relatório que embasou a decisão do desembargador do TJ-PB.

Ao todo, a ação cumpriu 54 mandados de busca e apreensão e 17 ordens de prisão preventiva nos estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Goiânia e Paraná.

Por meio de nota, a Polícia Federal disse que, do total de dinheiro desviado, R$ 120 milhões abasteceram campanhas de agentes políticos da Paraíba em 2010, 2014 e 2018.

Clique aqui para ler a decisão
0000835-33.2019.815.0000




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 20 de dezembro de 2019, 10h31

Comentários de leitores

1 comentário

Os riscos da PPP

André Pinheiro (Advogado Autônomo - Tributária)

Se havia risco em ser PPP no Brasil agora há riscos nas PPPs. Isto porque capital privado e dinheiro público causam a formação quimérica conhecida como Estado Obscuro.
Não que eu esteja demonizando as PPPs, longe de mim, mas a verdade é que estão
Os incautos inquisidores caçam bruxas e vêem dragões em moinhos de ventos.
Há duas frases que me enternecem " pare de acreditar nos fanatsmas que eles desaparecem" "obrigado ao meu irmão, por me provar que dragões não existem e depois me levar a toca deles. Poéticas?
A questão que a privatização de serviços de saúde, um contrasenso além do neoliberalismo, é algo externamente obscuro, se junto a isso, vem uma narrativa de fábulas e milhões e milhões jogados no colo da sociedade. O que posso dizer? O governador meteu a mão na cumbuca, com abelhas e mel.
Se por um lado era notória a governança destes governadores nessas Ongs, indicação de mão de obra e etc. Por outro lado, abriram a caixa de pandora do punitivismo exibicionista e agora resta a esperança no colo dos iluminiilistas Barrão , Fuckéotraste, ahauhulofachinstaénosso e demais membros.
Boa sorte para quem não tem sorte.
Embora mais eficiente, e com maior capacidade de salvar vidas, dava margem ao malestado e maledicências. Resultado, uma vida, ao menos, não será salva.
Na era dos crimes por extensos e em uma sociedade do espetáculo está na hora de jogar cristão para Leão, mesmo que não seja cristão. O show tem que continuar. Guy Debord era um profeta. E particularmente acho que esse governador não é inocente. Quem se importa, hora de ser devorado, estou com fome. "Ser culpado ou capaz, Tanto faz. "Humberto Gessinger.
P.S um socilaista jamais aceitaria essa fusão do capital com estado.

Comentários encerrados em 28/12/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.