Consultor Jurídico

Mal alheio

Em audiência, juiz roga praga e afirma desejar que advogados morram de câncer

Sentindo-se contrariado pela atuação dos advogados, o juiz Bartolomeu Ferreira de Azevedo Júnior disse em julgamento no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas que não poderia usar seu cargo para vingança, pois isso o faria um cretino. Sua solução foi desejar que os advogados morram de câncer e sofram no processo (veja abaixo no vídeo). 

A fala ocorreu no dia 26 de outubro, em sessão na qual se analisava um pedido de mandado de segurança impetrado pela defesa do candidato à reeleição a governador Amazonino Mendes (PDT). Os alvos da praga foram os advogados Yuri Dantas e Daniel Nogueira. 

“Tenho que julgar conforme a lei. Não posso atingir aqui as pessoas com um processo”, disse o magistrado. “Não posso me vingar porque eu seria um cretino, uma pessoa que não seria digna de estar sentada aqui. Então, a única coisa que eu posso pedir contra essas pessoas que fazem isso contra a minha pessoa é que Deus leve, mas que antes sofra bastante com um câncer”, disse o juiz durante a audiência.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Bartolomeu disse que a atuação dos advogados estava se baseando em questionar sua honra, o que ele diz não aceitar. O magistrado afirmou que não estava falando diretamente aos advogados, mas, sim, de forma genérica para quem lhe deseja o mal. 

Para a ConJur, Daniel Nogueira disse lamentar que o juiz use seu cargo público para esse tipo de manifestação: "Lamento profundamente a infeliz conduta de Sua Excelência de utilizar seu assento no Plenário do TRE/AM para propagar sentimentos tão ignóbeis. Como familiar próximo de alguém que está travando uma árdua batalha conta o câncer — fato esse que Sua Excelência tem absoluta ciência — aquelas palavras reverberaram de forma especialmente ofensiva. Como advogado, enxerguei um despropositado ataque àqueles que simplesmente estavam cumprindo o seu mister. Estou aguardando manifestação da Ordem e, independente disso, estou pessoalmente tomando as medidas legais cabíveis diante da situação". 

OAB
Nogueira é sócio do presidente da seccional amazonense da Ordem dos Advogados do Brasil, Marco Aurélio de Lima Choy. O líder da classe no estado afirma que ambos foram atingidos pelo discurso do juiz Bartolomeu.

“Vamos encaminhar o caso para a Comissão Nacional de Prerrogativas do Conselho Federal da OAB, uma vez que nós dois e o doutor Bartolomeu somos conselheiros federais de lá. Provavelmente vamos encaminhar ao Conselho Nacional de Justiça também, mas ainda estamos analisando as circunstâncias”, disse Choy ao Estadão

Veja abaixo o momento da fala do juiz:




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 2 de novembro de 2018, 11h08

Comentários de leitores

13 comentários

Digamos e ajamos como JESUS CRISTO.

Bacharel em Direito e pós graduado (Assessor Técnico)

Queridos, sei que, provavelmente, cada ser humano professa ter uma religião, ou não. Independentemente, respeitemos. Sou evangélico e irmão de todos vocês, inclusive, do Magistrado-autor da "praga rogada" em comento. Meu conselho é que digamos e ajamos de forma semelhante ao nosso Senhor Jesus Cristo que, quando na mais cruenta dor na cruz do Calvário, torturado por vários algozes, disse: "Pai, perdoa-os, porque não sabem o que fazem". Ainda em Seu exercício Ministerial terreno Ele pediu (não obrigou) que amássemos uns aos outros. Meus irmãos leitores e colegas operadores do direito, quer queira, quer não; creia-se ou não creia-se, não somos animais, SOMOS IMAGENS e semelhanças de Deus, o Ser invisível não crido por muitos - só crido por muitos se fosse visto por muitos, "infelizmente". Preconiza a Bíblia que, o que o homem (ser humano) semear, isso ceifará, logo, entendamos que, na qualidade de imagens e semelhanças de Deus (Jeová), quando se chega ao ponto de rogar uma praga, proferir ou exercer qualquer tipo de maldade contra o nosso irmão (semelhante), o fazemos contra DEUS. Ensina-nos a Bíblia que, com a nossa língua [se não tivermos domínio] podemos abençoar ou amaldiçoar, porém, a mesma Palavra de Deus (a Bíblia) enfatiza que, "quem confessa e deixa [o pecado, a transgressão etc.], alcança misericórdia". Dito isso, afirmo que, a título de solução para sua Excelência, o Magistrado que, por descontrole, assim creio, proferiu palavra de maldição contra o próximo, DIRIGIR-SE ao Ofendido, PEDIR DESCULPAS E PERDÃO. Ao(s) Advogado(s) deixo meu conselho de irmão: Compreendam o Magistrado, perdoem-no e não o representem. Deus é Maravilhoso para com todos nós. Nossos dias e vida terrena são transitórios.
Graça e Paz a todos.
João Marcos.

Tive câncer!

Neli (Procurador do Município)

Tive câncer há dez anos, dos invasivo.
Só não ganhei um dos três m (mutilação, metástase e morte), porque consegui detectar, quase, no início. (Fiz autoexame!)
E mesmo assim, ainda hoje sofro as agruras do câncer: não posso doar plaquetas (era doadora), sangue e minha veia do braço direito incha, quando está para chover, e tenho muitas dores. Por causa da quimioterapia! Abençoado remédio.
Abençoei,na alta, a todos os médicos, cientistas (até o balconista da farmácia que me vendeu o tamoxifeno!)
Sofri, durante o tratamento, preconceito, no trabalho.Foi triste e ao mesmo tempo bom,porque me deu ânimo. Não tirei nenhum dia de licença!
Câncer.
É uma doença ingrata que traz, de pessoas "sadias" um preconceito exacerbado.
E aqui no Conjur li um julgado do TST em que os julgadores entenderam que câncer não é uma doença sujeita a preconceito...E o doente foi demitido da empresa, três meses após voltar de licença e com 28 anos de casa! Que triste!
Pelo que sua excelência disse, está claro o preconceito.
Mais! Não se sabe como se pega câncer. Mas, certamente, excelência, por praga não o é!
A função de Magistrado, tem muitos bônus. Tem também alguns ônus: saber fundamentar!
Não sei o que os advogados fizeram, mas, se sua excelência foi atacada, poderia representar junto ao Órgão competente.
Lançar praga? Com a devida vênia, não é fundamento para uma decisão.
O advogado tem o dever de defender seus clientes.
É melhor, para a Justiça e para o Estado de Direito, um advogado “que leva praga” do que um dois de paus na defesa do cliente.
Minha solidariedade para os ofendidos.
Câncer tem cura!
O que não tem cura é o preconceito.
Finalmente, o Dr. Richard Smith disse que é melhor morrer de câncer,porque se prepara para a morte, do que por uma morte súbita.

Juiz, não.

Geraldo Camargo (Serventuário)

Ele NÃO é JUIZ. Ele ESTÁ Juiz Eleitoral.

NÃO É JUIZ DE CARREIRA - Essa parte (de não ser Juiz de Carreira) a reportagem não menciona. Omissão intencional???

Manaus - O advogado Bartolomeu Ferreira de Azevedo Júnior será o novo Juiz Substituto do Tribunal Regional Eleitoral.

https://www.portaldoholanda.com.br/…/bartolomeu-ferreira-e-…

https://www.conjur.com.br/…/juiz-audiencia-desejar-advogado…

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 10/11/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.