Consultor Jurídico

Mercado Jurídico

Por Sérgio Rodas

Blogs

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Luz na escuridão

Plataforma permite que cliente encontre melhores advogados de diferentes áreas

Uma nova plataforma permite que clientes encontrem os cinco melhores advogados de diversas especialidades em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. A Roundlaw visa identificar e conectar os potenciais clientes com os advogados mais inovadores de cada área.

Atuando também como uma consultoria de marketing para os profissionais, o sistema gerou movimentação acima de R$ 10 milhões nos seus primeiros cinco meses de operação. Para 2019, a expectativa é de gerar volume de negócios superior a R$ 60 milhões.

A plataforma surgiu para ajudar pessoas e empresas a escolherem o advogado ideal entre mais de 1 milhão de profissionais ativos no país. Segundo dados da Ordem dos Advogados do Brasil, há um advogado para cada 209 brasileiros. O número é superior, por exemplo, a mercados mais consolidados, como EUA e Reino Unido, que possuem, respectivamente, proporção de um profissional a cada 246 e 354 pessoas.

“Ao selecionarmos os cinco melhores dentro de cada área, conseguimos resolver a dificuldade das empresas e pessoas físicas na busca por advogados realmente qualificados em suas especialidades, além de retirar a necessidade das indicações pontuais de amigos, colegas de trabalho e familiares, que muitas vezes são inapropriadas para a situação exigida no momento”, avalia Gabriel Oliveira, presidente da Roundlaw no Brasil.

Para utilizar o serviço, o visitante deve iniciar a busca no site optando por dois tipo de perfis. O primeiro, batizado de "Market Recognition", reúne os cinco advogados de cada especialidade com a melhor reputação em seu mercado, isto é, os mais consagrados de cada cidade. Na opção "Roundlaw Selection", estão listados profissionais escolhidos mediante critérios específicos definido pela empresa. “Vale lembrar que ambos os grupos de advogados contam com ampla capacidade de comunicação, proximidade e engajamento com os clientes, especialização comprovada e proficiência em línguas estrangeiras”, afirma o executivo.

Para integrar o segundo grupo, o Roundlawyer - título dado aos selecionados - precisa passar pelo crivo da equipe de inteligência de mercado da companhia, composta por headhunters especializados no mercado jurídico e pela devida validação de reputação junto a outros profissionais do mercado. “Além disso, realizamos entrevistas com esses candidatos para verificar o nível de carisma, teste de proficiência de inglês e conhecer detalhadamente sua experiência profissional. Tudo isso para oferecer um advogado realmente qualificado para atender a demanda dos nossos usuários”, garante Oliveira.

Para os advogados, as vantagens incluem, além da presença na lista, o acesso à consultoria de marketing e conteúdo, que impulsiona sua visibilidade nas mídias sociais, mercado e imprensa.

“Todos eles contam com nosso auxílio para estabelecimento de network com executivos, investidores etc. Para isso, organizamos eventos corporativos, coquetéis e jantares com intuito de realizar essa aproximação. Também temos uma equipe de marketing que produz e divulga conteúdos capazes de trazer engajamento e reciprocidade com o público que já segue a Roundlaw nas mídias sociais. Ou seja, a nossa ideia é ajudar o advogado a se destacar ainda mais no mercado e, com isso, proporcionar maiores oportunidades para conquistar novos contratos e clientes”, explica o presidente.

Primeiros resultados
Lançada oficialmente em junho de 2018, a Roundlaw já trouxe inúmeras causas aos advogados cadastrados na plataforma. Somadas, elas geraram movimentação financeira acima de R$ 10 milhões.

Atualmente, a Roundlaw disponibiliza a lista de profissionais de 25 áreas diferentes do Direito em São Paulo. No Rio de Janeiro, são 23 especialidades, enquanto em Brasília há 13. A empresa tem planos de expandir suas atividades para outras cidades.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 9 de dezembro de 2018, 10h12

Comentários de leitores

6 comentários

Fraquinhoooo

FAB OLIVER (Consultor)

Por enquanto, em civil, contratos, tem apenas dois anunciantes. Mas quem sabe com a divulgação da conjur consigam aumentar.
Particularmente, convido os advogadXs a boicotar tal plataforma. Se não há uma instituição que zele pela profissão, que então o façam os advogados e advogadas boicotando tal plataforma. Simples assim.

Quais são os melhores advogados?

Leopoldo Luz (Advogado Autônomo - Civil)

São os que pagam para aparecer em plataformas ou em anuários?
São os que transformaram a advocacia em uma fábrica movida por estagiários e bacharéis sem OAB?
São os que terceirizam seus processos a correspondentes?
São os que têm celebridades como cliente.

Enquanto isso, modéstia à parte, nós, autônomos ou que operamos em pequenas sociedades vamos ganhando uma a uma as ações contra clientes representados pelos "melhores" advogados que sequer leem as peças que (eletronicamente) possuem suas assinaturas.

Mercantilizar a advocacia

321 (Advogado Autônomo - Civil)

Bom, o que essa plataforma vai fazer é mercantilizar a advocacia, numa explícita forma de captar clientela, ferindo os limites previstos no EOAB: quem puder pagar aparecerá na busca, quem não puder ficará de fora. E é bom que não se esqueça que é justamente os limites impostos pelo EOAB que tem permitido a sobrevivência do grande número de colegas ativos no pais, se a OAB permitir o avanço dessa e de outros práticas em curso veremos (sinceramente espero não ver) muitos colegas desistindo....

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/12/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.