Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

"Repetição de razões"

TRF-4 nega pedido de suspeição de Sergio Moro apresentado por Lula

O pedido de suspeição apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o juiz federal Sergio Moro foi negado, por unanimidade, pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (SC, RS e PR). A decisão foi tomada nesta quinta-feira (19/10).

O pedido foi feito dentro do processo em que o ex-presidente é acusado de ser dono de um apartamento usado por sua família em São Bernardo do Campo (SP). O advogado de Lula, Cristiano Zanin, alegou que Moro é parcial por causa de diversos “atos públicos desnecessariamente gravosos”, como a condução coercitiva de seu cliente, a busca e apreensão na residência e nas empresas da família e a divulgação de interceptações telefônicas ilegais.

TRF-4 negou pedido de suspeição apresentado por Lula contra Moro.
Reprodução

Zanin também acusou Moro de agir com deboche e ironia, além de espetacularizar a operação “lava jato”. Segundo o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, as causas de suspeição já foram invocadas pela defesa em outros feitos, “havendo mera repetição de razões”.

Quanto à espetacularização e aos efeitos provocados na opinião pública alegados pela defesa, Gebran pontuou que “são fatores externos que, além de não estarem diretamente ligados à atuação do magistrado, guardam relação com o direito constitucional à liberdade de expressão assegurados a todos os cidadãos e à imprensa”.

“Há que se ter bem claro que o juiz não é parte no processo, tampouco assume a posição de antagonista com relação a qualquer investigado ou réu. A insatisfação do réu com relação às decisões do Juízo não estão sujeitas ao escrutínio sob a perspectiva da imparcialidade, não sendo suficiente para o afastamento do magistrado a livre interpretação da parte com relação aos acontecimentos”, concluiu o desembargador. Com informações da Assessoria de Imprensa do TRF-4.

Processo 50026157920174047000

Revista Consultor Jurídico, 19 de outubro de 2017, 20h15

Comentários de leitores

4 comentários

Outra visão

Guilherme - Tributário (Advogado Autônomo - Tributária)

Prezado José R. Respeito o seu ponto de vista mas enxergo a coisa de maneira diferente. Uso este exemplo: é sabido que, no meio judiciário, as mulheres estão ganhando “de lavada” dos marmanjos. São muito mais juízas que juízes. Isto quer dizer que, nos concursos, os examinadores estão dando mais chances às mulheres que aos homens? Não. É uma questão de esforço, de competência. A coincidência de terem tantos magistrados de Curitiba envolvidos na “lava jato” só quer dizer que Curitiba é uma sede importante no meio jurídico. Basta consultar os autores de livros na área. Quanto à defesa do Lula, embora lhe seja um direito, acho a empreitada inútil. É defender o indefensável. Não surpreende, pois, o desfecho fatal: deve-se colocar atrás das grades todos os enganadores do povo brasileiro. Todos...

talento desperdiçado no stand up

hammer eduardo (Consultor)

Acho sensacional o desperdício de talentos que certamente seriam mais uteis no efervescente mercado dos operadores de stand up comedy.
O molusco repugnante e sua trupe circense de DIVOGADIOS ( alias cabe lembrar em todo este momento especial pelo qual passa o Brasil, TODOS envolvidos junto com o molusco na bandalheira que acabou com a Varig em 2006 , curiosamente esta pedra ainda não foi levantada...) são no mínimo uma quadrilha de brincalhões pois entopem o Judiciario de palhaçadas pseudo-juridicas tentando atrasar ou livrar o mais espetacular mentiroso e LADRÃO da historia recente do Brasil da merecida CANA que também parece difícil de ser concretizada.
Agora querem apenasmente como diria o Odorico Paraguassu trocar o Juiz pois este não esta sendo "compreensivo" com o que estão mal acostumados em termos de facilidades sem limites .
Hoje os destinos variados do Brasil se encontram estacionados nas mãos do pessoal do TRF4 em Porto Alegre que deverá transformar , se Deus quiser , este nojento em inelegível o que já será um tremendo adianto para que o Brasil não vire uma Venezuela fabricada na Bolívia.
Na pratica TODA a estrutura do PT esta montada em cima daquele que "nunca sabe de nada" e sua retirada do páreo em 2018 . Cadeia bem sabemos na pratica que vai ser tecnicamente impossível devido a tal quantidade infinita de instancias das quais os vagabundos mais perigosos dispõe a vontade e sem limite , se depender então do STF , necessitaremos de teste do Carbono 14 para datar a época daqui a alguns milhares de anos quando isso acontecer. Somos um Pais de bosta , apenas isso. Saudades de 64.

Tá tudo dominado

antonio gomes silva (Outro)

Concordo plenamente com José R. O Brasil inteiro já sabe da parcialidade indisfarçável de Moro. Lógico que todas as suas decisões, sejam elas quais forem, têm e sempre terão o aval do TRF 4, pois agem de forma combinada. Isso está claro. E adivinhem o resultado do julgamento de Lula na 2º instância! Quanta dúvida. Só que não!!!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 27/10/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.