Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Bom-mocismo

Promotor pede proibição de bebidas alcoólicas em festa de colégio evangélico

Diante da impossibilidade de coibir que adolescentes consumam bebidas alcoólicas em festas de formatura, a venda desses produtos deve ser proibida nesse tipo de evento. A recomendação é de um promotor de Jaraguá do Sul (SC) a um colégio evangélico da cidade.

Promotor pede que escola alerte pais e responsáveis sobre o consumo de álcool por adolescentes.
123RF

O fato de a escola promover um trabalho amparado "por valores éticos, estéticos, morais e espirituais", como ela própria divulga em seu site, parece não ser suficiente para o promotor, que pede que a escola alerte os pais e responsáveis sobre o consumo de álcool por adolescentes, principalmente nos chamados "esquentas", quando jovens se reúnem para beber antes da festa de formatura.

E ameaça: aplicará as medidas proteção previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente ao jovem que for encontrado embriagado ou sob efeito de entorpecentes e também aos seus pais. O promotor diz ainda que a responsabilidade civil, administrativa e criminal dessas festas não é das escolas, mas, sim, dos pais, que firmam os contratos de prestação de serviço com clubes e empresas de formatura.

A recomendação orienta ainda a escola a informar aos pais que os adolescentes também mentem. Segundo o promotor, há uma proliferação de eventos clandestinos mascarados de aniversário e confraternização, onde são servidas bebidas alcoólicas. Entre as estratégias dos jovens, segundo a recomendação, está fazer festa na casa de famílias que estão ausentes da cidade, como nos filmes adolescentes hollywoodianos.

O promotor determina ainda instauração de inquérito civil para implantar projeto de prevenção de consumo de drogas e álcool por adolescentes, pedindo que a recomendação à escola evangélica seja enviada a todas as escolas públicas e particulares que possuam turmas dos anos finais do ensino fundamental e médio.

Clique aqui para ler a recomendação.

Revista Consultor Jurídico, 5 de dezembro de 2017, 11h39

Comentários de leitores

1 comentário

Só pode ser falta do que fazer...Chamem um psicanalista!!!!!

Felipe Costa - Advogado Ceará (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Meu amigo, só pode ser falta do que fazer. Ou será que ele se acha poderoso demais? Poxa...o cara quer lascar os adolescentes....quer lascar os pais dos adolescentes. E aí, meu amigo? a troco de que você faz isso?Quer aparecer? E com base em que ele quer que a Escola informe aos pais que os adolescentes mentem? Será se esse cara já foi adolescente? Será se esse cara já bebeu álcool na vida dele? O será se ele é uma virgem imaculada? Se for, vamos fazer uma campanha para esse cidadão ser canonizado em vida!Talvez seja até um representante de Deus aqui na Terra!E não pode passar despercebido a estranha comparação da situação dos adolescentes da cidade com os filmes americanos....que porra é essa??? Ou assistiu à muitos filmes ou sempre quis participar de uma festinha de adolescentes, mas era excluído por, muito provavelmente, ser um chato de carteirinha. E, convenhamos, que imaginação! filme de hollywood? Esse cara precisa fazer análise....CHAMEM UM PSICANALISTA.

Comentários encerrados em 13/12/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.