Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prédio inundado

Judiciário gaúcho retoma atividades após sofrer danos com temporal e granizo

Após 11 dias de interdição devido às chuvas que atingem a Região Sul, o prédio do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul retomou o expediente normal nesta segunda-feira (26/10). Na tarde de sábado (24/10), o presidente do TJ-RS, desembargador José Aquino Flôres de Camargo, inspecionou o local e confirmou que o prédio está apto para uso, com as condições adequadas de segurança para acesso de servidores, magistrados e usuários da Justiça.

A sede do Judiciário estadual ficou inundada após temporal com chuva de granizo ocorrido na noite do dia 14. A água atingiu 1,5 m de altura, danificando os sistemas elétrico, de refrigeração e de informática do TJ. Os prejuízos ultrapassam R$ 1 milhão. Os prazos processuais no segundo grau de jurisdição foram suspensos neste período.

A energia elétrica foi restabelecida, bem como o sistema de informática e de refrigeração. Nove dos 12 elevadores já estão em funcionamento.

Justiça Eleitoral
Outro órgão do Judiciário afetado foi o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, cujo prédio ficou um dia inteiro sem luz elétrica. Além disso, o sistema de Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho do estado foi afetado, ficando instável em algumas regiões. Por isso, o TRT-4 prorrogou para o dia 19 o término dos prazos processuais encerrados nos dias 15 e 16.

A prorrogação do término dos prazos processuais levou em consideração os requerimentos da seccional gaúcha da Ordem dos Advogados do Brasil, da Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas, da Associação Gaúcha dos Advogados Trabalhistas e da Associação dos Advogados Trabalhistas de Empresas do Estado no Rio Grande do Sul.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região não foi afetado e funcionou normalmente nas últimas semanas. Com informações das assessorias de Imprensa do TJ-RS, TRT-4 e TRF-4.

Revista Consultor Jurídico, 26 de outubro de 2015, 14h19

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 03/11/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.