Consultor Jurídico

Direito na Europa

Por Aline Pinheiro

Blogs

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Carona remunerada

Uber pede ajuda de clientes para continuar funcionando em Londres

O aplicativo de celular Uber está mandando e-mail para seus clientes pedindo ajuda para barrar os planos da prefeitura de Londres de criar regras rígidas para o serviço. O objetivo é convencer à TFL, autoridade que regulamenta o transporte na cidade, que a Uber é benéfica aos milhares de moradores da capital inglesa e que enrijecer as regras vai inviabilizar o seu funcionamento.

A TFL faz até o dia 23 de dezembro uma consulta pública para que a população possa se manifestar. O plano da autoridade é exigir mais dos motoristas da Uber para equilibrar com as exigências pelas quais os taxistas têm de passar hoje para operar em Londres.

Os motoristas da Uber teriam de fazer teste de inglês para comprovar conhecimento da língua e passariam por uma avaliação geográfica da cidade, a mesma exigida dos taxistas. Até hoje, quem quer ter um táxi em Londres passa por uma prova prática duríssima para mostrar que conhece todas as ruas da cidade e o melhor caminho para chegar a elas. Tudo isso sem GPS.

A Uber concorda com a TFL num ponto: os taxistas ficam em desvantagem. Porém, o que a empresa sugere é rever as regras impostas aos taxistas, e não tentar dificultar o serviço que o aplicativo oferece. A TFL só deve anunciar no próximo ano qual a sua decisão sobre o assunto.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 18 de novembro de 2015, 19h59

Comentários de leitores

1 comentário

uber e a economia do mundo

janaina macedo calvo (Economista)

Em qualquer país civilizado as pessoas dão prioridade aos transportes coletivos para proteger o meio ambiente, mas as condições precárias nos levam a recorrer a outras alternativas de mobilidade. Até que ponto isso afeta nossa qualidade de vida? Não percam novo post no blog Café&Finanças
http://cafeefinancas.blogspot.com

Comentários encerrados em 26/11/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.