Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Eleição tumultuada

Chapa de oposição elege 39 integrantes
de comissão do impeachment na Câmara

Em meio a brigas, gritaria e acusações de manobras regimentais, a chapa 2 — Unindo o Brasil, formada em sua maioria por deputados da oposição e dissidentes da base aliada, venceu a votação ocorrida nesta terça-feira (8/12) para compor a comissão especial que vai analisar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O grupo recebeu 272 votos.

A chapa 1, formada por deputados indicados pelos líderes da base governista, obteve 199 votos. A votação foi secreta. Como o grupo vencedor é composto por 39 integrantes, haverá nova votação nesta quarta-feira (9/12) para escolher os outros membros que vão compor a comissão que analisará o impeachment.

A comissão deve ter 65 membros titulares e 65 suplentes. Faltam escolher 26 deputados titulares e 42 suplentes. O bloco encabeçado pelo PMDB tem ainda quatro vagas de titulares e 14 de suplentes para serem ocupadas.

O grupo liderado pelo PT terá que preencher ainda 15 vagas de titulares e 17 de suplentes. A oposição, liderada pelo PSDB, que organizou a chapa vencedora com outros partidos da oposição e insatisfeitos com a composição da chapa 1, terá de preencher uma vaga de titular e cinco de suplentes. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 8 de dezembro de 2015, 19h23

Comentários de leitores

1 comentário

"Cada dia a sua agonia"...

Gabriel da Silva Merlin (Advogado Autônomo)

É exatamente assim que o Governo Federal vem se portando desde que a presidente Dilma assumiu o seu segundo mandato presidencial, "a cada dia sua agonia".

Em 1 ano de mandato é difícil dizer uma única semana em que não foi alguma bomba estourando e que complicou a vida do Governo, e o pior que quanto mais o tempo passa mais a situação vai se agravando.

A última trapalhada foi tentar comprar os lideres dos partidos para que indicassem apenas parlamentares alinhados ao Governo para a comissão especial do impeachment, mas o que se viu foi uma rebelião da base aliada que fez com que o Governo tivesse uma enorme derrota no plenário, perdendo o controle dessa comissão.

Depois de tanta incompetência e tantas trapalhadas eu não vejo como a presidente Dilma não sofrer o impeachment, aliás a própria presidente já deve estar torcendo pra acabar logo esse mandato dela de uma vez por todas.

Comentários encerrados em 16/12/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.