Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Nova direção

Celebração eucarística marca início da gestão de Nalini

Uma missa de ação de graças nesta quinta-feira (2/1) marcou o primeiro dia da gestão do novo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador  José Renato Nalini. A celebração eucarística foi conduzida pelo bispo de Santo Amaro, dom Fernando Antônio Figueiredo, no Salão Nobre Ministro Costa Manso do Palácio da Justiça, e reuniu, além de Nalini, integrantes do Conselho Superior da Magistratura, desembargadores, magistrados, procuradores de Justiça, advogados, policiais e servidores.

“O desembargador Renato Nalini inicia, agora, suas atividades como presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Homem justo, simples e humilde, que Deus o mantenha assim”, disse dom Fernando Figueiredo ao iniciar a cerimônia. “Que Deus o abençoe e a todos que aqui se encontram.”

Renato Nalini fez a primeira leitura da missa, seguido pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Hamilton Elliot Akel, que leu o salmo responsarial, e pelo presidente da Seção de Direito Privado, desembargador Artur Marques da Silva Filho, responsável pela segunda leitura. Ao final, dom Fernando Figueiredo parabenizou-os, assim como o presidente da Seção de Direito Criminal do TJ-SP, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco. O vice-presidente Eros Piceli, o presidente da Seção de Direito Público, Ricardo Mair Anafe, e o decano Walter de Almeida Guilherme não puderam comparecer.

Para o presidente, a cerimônia representou, também, um encontro fraterno. “Com a concordância dos membros do Conselho Superior da Magistratura e demais colegas, decidimos realizar esta celebração para que o início desta gestão tivesse a proteção da Providência Divina”, declarou. Ele ainda felicitou o ex-presidente Ivan Sartori por sua arrojada administração e o encorajou a perseguir suas metas com o mesmo dinamismo e entusiasmo. “Precisamos de todos para que a Justiça corresponda à expectativa depositada nela. Ela não é somente nossa, é de todos”, disse Renato Nalini.

A missa contou com a apresentação de um belo coral da Diocese de Santo Amaro, que teve a participação de músicos de outras paróquias da cidade. Também prestigiaram a cerimônia, entre outras autoridades, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Antonio Carlos Mathias Coltro; o presidente do Tribunal de Justiça Militar, Paulo Adib Casseb; o procurador-geral de Justiça em exercício, Álvaro Augusto Fonseca de Arruda; o ex-corregedor-geral da Justiça desembargador Antonio Carlos Munhoz Soares; o corregedor-geral do TRE-SP, desembargador Mário Devienne Ferraz; o procurador de Justiça Arnaldo Hossepian Salles Lima Junior; o ex-secretário do município de São Paulo Alexandre de Moraes; e o decano da Academia Paulista de Letras, poeta Paulo Bomfim. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SP.

Revista Consultor Jurídico, 3 de janeiro de 2014, 10h48

Comentários de leitores

2 comentários

Começou muito bem!

Jesus Pereira (Procurador Federal)

Parabéns, Presidente! Começou o mandato voltado Àquele que deve ser amado acima de todas as coisas e de todos os afetos, amado sobre todos os incômodos e todas as inconveniências.
Parabéns, Presidente, que, assumindo o poder, não esquece de onde o poder verdadeiramente se origina e de Quem é Poder, não se envergonhando, num mundo que deifica seu próprio umbigo, de testemunhar a fé em Cristo e de fazer parte de seu corpo místico.
Virão as críticas (já estão aí!), Presidente! Pague o preço da fé e da fidelidade! Não ficará sem recompensa!

Começou mal

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A atuação e funcionamento do Poder Judiciário nada tem a ver com rituais ou costumes religiosos, muito embora a Igreja Católica há séculos vem impregnando o Estado brasileiro e tentando obter da melhor forma possível vantagens pessoais aos seus. Nalini assim começa seu mandato como o faria um presidente de tribunal há 200 anos.

Comentários encerrados em 11/01/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.