Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Escolha de representantes

Juízes debatem eleições diretas no Judiciário

Juízes de todo o país discutem em audiência pública, nesta sexta-feira (7/6), as eleições diretas para a presidência do Poder Judiciário. Um dos participantes do evento, o desembargador Cláudio dell'Orto, presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj), acredita que, ao acolher os juízes como eleitores, os tribunais estariam dando um exemplo de democracia.

“A administração e o orçamento do Tribunal são para todos os magistrados, logo, se isso é verdadeiro todos os magistrados devem participar democraticamente do processo de escolha das mesas diretoras dos tribunais”, disse o presidente da associação, que conta com a adesão de mais de 300 juízes e desembargadores em um abaixo-assinado pela eleição direta no Tribunal de Justiça do Rio.

Promovida pelas Associações de Juízes Federais (Ajufe), do Ceará (ACM) e do Trabalho (Amatra VII), a audiência pública contará com a presença de senadores e deputados federais, juízes de Direito, federais e do trabalho, além de palestrantes convidados. O evento acontecerá às 10h, no Auditório da Justiça Federal, em Fortaleza.

O ato abordará a relevância de democratizar a escolha de presidentes e vice-presidentes dos Tribunais de Justiça Estaduais, Federais e do Trabalho. A modificação do processo atual, estendendo aos juízes vitalícios de 1º grau o direito ao voto, consta nas Propostas de Emenda à Constituição 15/2012 e 187/2012, que tramitam no Senado e na Câmara.

“Há vinte anos esse tema está em debate e os Tribunais resistem. Ao acolher os juízes como eleitores, eles estariam dando um exemplo de democracia interna fantástico”, afirma Cláudio dell'Orto. Com informações da Assessoria de Imprensa da Amaerj.

Revista Consultor Jurídico, 6 de junho de 2013, 17h28

Comentários de leitores

4 comentários

vou palpitar

Ricardo T. (Outros)

Concurso único para juiz, promotor, defensor, procurador do e delegado. Conselhão para todos. Ninguém iria mais reclamar da prestação jurisicional, porque seriam todos irmãos. O presidente dos Tribunais deve ser eleito por voto dos servidores, juízes e advogados.

Quem vai chegar primeiro!

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

A magistratura vai chegar primeiro que a OAB, à democratização interna.

Todos são iguais perante a lei

Luiz Pereira Neto - OAB.RJ 37.843 (Advogado Autônomo - Empresarial)

Perfeito , nada mais justo . A trama tem que ser ampliada , todos sem exceção , devem participar dos interesses , legítimos e ilegítimos , das mamatas , dos conluios , etc... , dividindo , irmamente , possíveis vantagens , em nome de um paritário corporativismo .
Assim sendo , todos serão DEUSES , não mais , somente , os Desembargadores .

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 14/06/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.