Consultor Jurídico

Colunas

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Agenda de Concursos

Advogados trocam maior remuneração por estabilidade

Por 

Se as dificuldades e imposições da rotina de advogado podem ser compensadas com altos salários, a carreira pública oferece, além de pagamentos atrativos para quem está começando a carreira, a estabilidade. O advogado e professor Sérgio Camargo diz que durante a graduação "a maioria dos alunos pretende seguir carreira pública; geralmente apenas meia dúzia pretende advogar". Para ele, que leciona na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro e trabalha no escritório Sérgio Camargo Advogados Associados, a carreira pública é a primeira opção por oferecer estabilidade profissional. "Eles não querem ficar ao bel prazer do setor privado, com suas instabilidades financeiras, metas, questões de empatia, podendo ser demitido a qualquer hora, e ganhando até salários abaixo do piso."

No entanto, não é apenas o conforto da carreira pública ou o salário oferecido para iniciantes que atrai os advogados. Julian Barros, que advoga há dez anos e leciona Direito em faculdades do RJ, está prestando concurso para juiz motivado pela vocação. "Parte das pessoas visa o aspecto financeiro, mas, no meu caso, é uma vocação especial pela matéria. Eu advogo há dez anos, mas sempre fui mais professor que advogado, e o trabalho de juiz me cai como uma luva", conta. Julian, contudo, reconhece que a "o grande atrativo da carreira é a vitalicidade".

Vocação e estabilidade também levaram o criminalista Carmine Lorenzo a concorrer a uma vaga de delegado da Polícia Federal. "Nunca me faltou e sempre foi tranquilo arrumar trabalho como advogado, e financeiramente eu ganho mais do que ganha um delegado da PF. Mas tem a questão da vocação e também da estabilidade", afirma Lorenzo. Ele acredita que tem vocação para ser delegado: "Primeiro pelas atribuições, e pela notoriedade do cargo, estar sempre na mídia, é um cargo importante, envolve investigações importantes em nível nacional."

Já Camargo fez o caminho inverso. Logo que se formou, prestou concurso para a Petrobras, onde atuou por cinco anos, mas voltou para o setor privado. "Mesmo com toda a segurança da carreira pública, para quem é bom, o dinheiro está no setor privado", afirma ele, que também encontrou a satisfação pessoal na advocacia. "O cara que estudou Direito por quatro anos, às vezes passa num concurso para virar carimbador de papel. Ele não usa para nada o intelecto que desenvolveu", diz.

Veja os concursos para cargos jurídicos que estão em andamento:

Nacional

Telebrás
Advogado especialista em gestão de telecomunicações

As inscrições ficam abertas até o dia 1º de fevereiro. Quatro vagas estão disponíveis, mas também serão selecionados profissionais para o cadastro de reserva. A remuneração para o cargo é de R$ 5.825,11. O edital pode ser acessado no site do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília. Clique aqui para acessá-lo.


Região Centro-oeste

Tribunal de Justiça do Distrito Federal
Analista judiciário

As inscrições estão abertas até 23 de fevereiro. São 15 vagas para o cargo, com remuneração de R$ 7.566,41. Para concorrer, é necessário ser formado em Direito. O edital pode ser encontrado no site do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília. Clique aqui para acessá-lo.

Tribunal de Justiça do Distrito Federal
Oficial de Justiça avaliador
As inscrições estão abertas até 23 de fevereiro. São seis vagas para o cargo, com remuneração de R$ 7.566,41. O único requisito para concorrer é ter bacharelado em Direito. O edital pode ser encontrado no site do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília. Clique aqui para acessá-lo.

Polícia Civil do Estado de Mato Grosso do Sul
Delegado

As inscrições estão abertas até o dia 8 de fevereiro. São 30 vagas disponíveis, com remuneração de R$ 9.035,55. Para concorrer, é necessário ter bacharelado em Direito, e pelo menos três anos de atuação em atividade jurídica. O edital pode ser encontrado e as inscrições podem se feitas no site do governo estadual deMato Grosso do Sul. Clique aqui para acessá-lo.


Região Norte

Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região
Juiz do Trabalho

As inscrições ficam abertas até o dia 6 de fevereiro. Estão disponíveis oito vagas para o cargo de juiz do trabalho, com salário de R$ 21.766,15. O concurso também se destina a formar cadastro de reserva. Para concorrer, é preciso ser bacharel em Direito, e ter exercido pelo menos três anos de atividade jurídica. As inscrições podem ser feitas no site do TRT-14. Para acessá-lo, clique aqui.

Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região
Juiz substituto
As inscrições estão abertas até as 14h do dia 6 de fevereiro. A remuneração para o cargo é de R$ 21.766,15, para 44 horas de trabalho semanais. As oito vagas disponíveis são destinadas aos estados de Rondônia e Acre. Para concorrer, é necessário ter exercido atividades jurídicas por no mínimo três anos após o bacharelado. O concurso tem validade de dois anos. Para mais informações, clique aqui e acesse o site do TRT-14.

Ministério Público do Estado do Acre
Analista processual

As inscrições ficam abertas até 31 de janeiro. Estão disponível 94 vagas para o cargo de analista processual, com remuneração de R$ 3.500. Para concorrer é necessário ter bacharelado em Direito. As inscrições podem ser feitas e o edital pode ser consultado no site da Fundação Escola Superior do Ministério Público. Para acessá-lo, clique aqui.

Tribunal De Justiça do Estado de Roraima
Notário

As inscrições ficam abertas até 27 de fevereiro. O concurso se destina ao preenchimento de 23 vagas de provimento para o cargo de notário. O salário não foi divulgado. Para concorrer, é necessário ser bacharel em Direito ou ter exercido, por mais de 10 anos, serviço notarial ou de registro. As inscrições podem ser feitas no site do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília. Clique aqui para acessá-lo.

Polícia Civil Do Estado Do Pará
Delegado

As inscrições serão abertas em 20 de fevereiro, se encerrando em 17 de março. São 150 vagas disponíveis para o cargo de delegado. O salário é de R$ 7.695,02. Para concorrer, é necessário ter formação em Direito. As inscrições podem ser feitas no site da Universidade do Estado do Pará. Clique aqui para acessá-lo.


Região Nordeste

Tribunal Regional do Trabalho da Bahia
Juiz

As inscrições ficam abertas até o dia 4 de fevereiro. Estão disponíveis sete vagas de juiz substituto, com remuneração de R$ 21.766,15. A seleção também se destinará à formação de cadastro de reserva, que terá validade de dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois. Para concorrer, é necessário o bacharelado em Direito, e o exercício de atividades jurídicas por no mínimo três anos. As inscrições podem ser feitas no site do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília. Clique aqui para acessá-lo.

Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba
Procurador

As inscrições estão abertas até o dia 6 de fevereiro. Apenas uma vaga está disponível. A remuneração para o cargo é de R$ 11 mil. Para concorrer, é preciso ser bacharel em Direito e ter inscrição na OAB. O edital pode ser acessado no site da Fundação Carlos Chagas. Clique aqui para acessá-lo.

Polícia Civil Do Estado Da Bahia
Delegado

As inscrições ficam abertas até o dia 19 de fevereiro. Estão disponíveis 100 vagas para o cargo de delegado, com remuneração de R$ 9.155,28. Para concorrer, é necessário ter bacharelado em Direito. As inscrições podem ser feitas no site do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília. Clique aqui para acessá-lo.


Região Sudeste

Polícia Civil do Estado de Minas Gerais
Analista

As inscrições serão abertas em 18 de março, e se encerram em 18 de abril. São 38 vagas para o cargo de analista, com remuneração de R$ 1.707,55. Para concorrer, basta ser formado em Direito. As inscrições podem ser feitas no site da Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc), onde pode-se encontra o edital. Clique aqui para acessá-lo.

Polícia Civil do Estado do Espírito Santo
Delegado

As inscrições estão abertas até 27 de fevereiro. São três vagas disponíveis para o cargo de delegado, com remuneração de R$ 7.675,22. Para concorrer, é preciso ser formado em Direito. As inscrições podem ser feitas no site da Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab). Clique aqui para acessá-lo.

Polícia Civil do Estado do Espírito Santo
Escrivão

As inscrições estão abertas até o dia 27 de fevereiro. Estão disponíveis 81 vagas para o cargo de escrivão, com salário de R$ 3.900,03. Para concorrer, é exigido o bacharelado em Direito. As inscrições podem ser feitas no site da Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab). Clique aqui para acessá-lo.


Região Sul

Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina
Auditor

As inscrições estão abertas até o dia 7 de fevereiro. Estão disponíveis três vagas para o cargo de auditor substituto de conselheiro. Para concorrer, é necessário ter entre 35 e 65 anos, além de ter bacharelado em Direito. O salário é de R$ 22.911,74. As inscrições podem ser feitas no site do TCE-SC. Clique aqui para acessá-lo.

Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina
Analista técnico
As inscrições ficam abertas até as 16h do dia 5 de fevereiro. São 50 vagas disponíveis para o cargo de analista técnico, três delas reservadas para deficientes físicos. A remuneração é de R$ 4.200, por 40 horas semanais. A única exigência para a disputa é ter bacharelado em Direito. As inscrições podem ser feitas no site da Fundação de Estudos e Pesquisa Sócioeconômicos (Fepese), onde estão disponíveis os detalhes sobre a prova. Clique aqui para acessar o site.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 31 de janeiro de 2013, 8h00

Comentários de leitores

13 comentários

Caro rode

Alan Shore (Advogado Autônomo)

Não sei se é hipocrisia ou inocência sua, mas pouquíssimos hoje vão para o serviço público por vocação. A grande maioria vai apenas pela remuneração e estabilidade, muitas vezes odiando o trabalho que faz (que de fato, muitas vezes é monótomo)dando origem a péssima qualidade do serviço público no país. Claro que há também aqueles que a exercem com excelência, mas infelizmente são raridades.
Quanto ao seu comentário acerca de uma superioridade daquele que emenda a inicial ou a sana, te devolvo a pergunta: aquele que recorre de uma decisão bizarra ou mal fundamentada, (dando uma aula de como se profere e se fundamenta uma sentença sem violar a Constituição e a lei) sendo esta consequentemente reformada, é superior ao ser que a proferiu?
Passe bem

"Advogar não é pra qualquer um"

LauroCesar Advocacia (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

Na verdade, 70% daqueles que se encontram na carreira pública não possuem a mínima vocação que se espera de quem possui a alcunha de "SERVIDOR PÚBLICO". Senão, teríamos serviços de melhores qualidades em todos os órgãos que servem os cidadãos. O que se vê, constantemente, são pessoas insatisfeitas com os seus cargos, funções, salários etc. Esperando a primeira oportunidade para se aproveitarem de sua estabilidade pra fazer greve e atrapalhar a vida das pessoas; mesmo com bons salários. Não aguentamos mais esses péssimos "SERVIDORES", não sei de que ou de quem, mas são servidores. Em regra são pessoas que não conseguiram prosperar em sua área de formação, fracassados no geral, então vão atrás da vida fácil e da estabilidade.
São pessoas que adoram passear nas ruas na hora do almoço com os seus crachares pendurados no pescoço como se fossem verdadeiros troféus, para se exibirem aos montes; porém, trabalhar que é bom nada. O que vale é ostentar, ter status para desfilar em nossa hipócrita sociedade, poder falar que é funcionário deste ou daquele órgão público faz bem ao superego. No geral, são pessoas que não possuem compromisso nem consigo mesmo quanto mais com os pobres contribuintes.
Nós Advogados agradecemos a todos esses que vão para a carreira pública, o mercado agradece!!!

Ao Rode (outros)

Bruno W (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Rode,
Assim como petições iniciais são indeferidas, saneadas, ou emendadas, sentenças também são reformadas, anuladas e canceladas. Pois gente competente e incompetente existe em todos os setores.
Por isso que não existe (ou não deveria existir) hierarquia entre a advocacia/magistratura/ministério público.
O consenso nos comentários abaixo, é que o servidor público concursado está amparado por inúmeros privilégios (alguns merecidos e outros nem tanto) que o setor privado não experimenta. Em patente detrimento ao serviço prestado aos jurisdicionados, contribuintes, segurados (no caso do INSS).
O recalque Mencionado do funcionário público em relação ao advogado, é porque aquele não teve coragem ou competência de enfrentar a rotina de uma das mais desgastantes (e recompensadora) profissões.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 08/02/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.