Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Destino político

Presidente do Paraguai pede suspensão de julgamento

Inconstitucionalidade. Esta foi a alegação dada pelos advogados do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, para questionar o pedido de impeachment aprovado na quinta (21/6), pela Câmara dos Deputados. Uma representação afirmando que o pedido é inconstitucional foi enviada à Secretara Judicial nº1 do país. Com isso, os advogados do presidente solicitaram a suspensão do julgamento político marcado para esta tarde. As informações são da Agência Brasil.

O pedido havia sido aprovado por 73 votos a 1 pelos deputados na quinta e seria analisado pelo Senado. Lugo é acusado de manter vínculos com movimentos sociais do país e por ausência de ação, por exemplo, contra a invasão de terras.

Os dois juizes escolhidos para analisar o caso teriam viajado e, diante disso, o tribunal terá que reunir outros juizes para julgar o pedido. O argumento de constitucionalidade é assinado pelos advogados, Adolfo Ferreiro e Emilio Camacho.

Lugo terá duas horas para apresentar sua defesa e, às 16h30 — 15h30 no horário de Brasília, os senadores se pronunciarão sobre o processo de impeachment do presidente. “Em duas horas ninguém pode defender qualquer um de qualquer coisa”, disse o advogado Adolfo Ferreiro. “Está se tirando do Paraguai a possibilidade de algum dia se tornar um país civilizado.”

Depois da apresentação dos argumentos da defesa, o Senado decidirá sobre o pedido de impeachment. Dos 45 senadores titulares, é preciso, pelo menos, que 30 sejam favoráveis à destituição do presidente da República.

Revista Consultor Jurídico, 22 de junho de 2012, 14h38

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/06/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.