Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Vaga ocupada

TJ-MT terá quarta desembargadora em sua composição

A juíza substituta de segundo grau, Marilsen Andrade Addario, foi eleita a nova desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, em sessão extraordinária administrativa do Tribunal Pleno na tarde desta segunda-feira (9/7). A magistrada, que obteve nota geral de 89,57, ocupará vaga aberta com a aposentadoria do desembargador Teomar de Oliveira Correia e será a quarta desembargadora mato-grossense em atividade. A posse já está marcada para a próxima quarta-feira (11 de abril), às 9h, no Plenário 1 do TJ-MT.

O presidente do TJ-MT, desembargador Rubens de Oliveira Santos Filho, parabenizou a futura desembargadora. “As mulheres ganham mais espaço a cada dia que passa. Esta será a quarta desembargadora em atividade no TJ-MT, o que representa um marco para a história do Judiciário de Mato Grosso. A escolha desta magistrada reflete o empenho e a dedicação dela, lembrando que cada desembargador teve que atribuir várias notas a cada um dos candidatos”, pontuou o presidente. Indagado sobre o processo em andamento para o preenchimento das outras três vagas de desembargador em aberto no TJ-MT, o desembargador enfatizou que os editais que tratam das vagas já foram publicados. As inscrições para os juízes interessados prosseguem até esta sexta-feira (13/7). “Entre 60 e 90 dias teremos todos os processos de escolha finalizados, seguindo os prazos do trâmite, incluindo os de recurso”.

A juíza Marilsen Andrade Addario destacou que atua nas câmaras do Tribunal de Justiça desde 2005. “Atuei como juíza substituta de Segundo Grau em Câmaras Criminais e Cíveis de Direito Público e Privado. Agradeço a escolha e lembro que é um voto de confiança em mim e na minha equipe. Como mulher, digo que os caminhos começam a se abrir para nós”, observou.

O presidente da Associação Mato-Grossense de Magistrados (Amam), juiz Agamenon Alcântara Moreno Júnior, afirmou que mais um passo foi dado em busca da melhor prestação jurisdicional. 

A lista tríplice dos candidatos mais votados teve, além da juíza Marilsen Addario, a juíza Maria Aparecida Ribeiro e o juiz Adilson Polegato de Freitas. Ao todo 12 magistrados concorreram à vaga, além dos três já mencionados: Rondon Bassil Dower Filho, José Zuquim Nogueira, Sebastião Barbosa Farias, Nilza Maria Pôssas de Carvalho, Helena Maria Bezerra Ramos, Flávia Catarina Oliveira de Amorim Reis, Serly Marcondes Alves, Helvio Carvalho Pereira e Cleuci Terezinha Chagas. Além da exigência da permanência por mais de dois anos na Entrância Especial, os candidatos tiveram outras 82 notas de avaliação emitidas por cada um dos desembargadores votantes.

Perfil
Marilsen Andrade Addario bacharelou-se em Direito na Faculdade da Alta Paulista (FADAP), em Tupã (São Paulo), em 1984. Foi aprovada em concurso para a magistratura estadual em 1988, tendo completado, no último dia 3 de novembro de 2011, 23 anos de exercício, dentre estes mais de 17 anos na Entrância Especial. Exerceu a judicatura nas Comarcas de Alto Garças, Jaciara, Barra do Garças, Várzea Grande e Cuiabá. Respondeu também como designada pelas comarcas de Alto Araguaia, Itiquira e Pedra Preta. Atuou como juíza eleitoral pelo Tribunal Regional Eleitoral (11ª Zona Eleitoral, 47ª Zona Eleitoral, 20ª Zona Eleitoral e 48ª Zona Eleitoral). Além disso, no período de julho de 1999 a setembro de 2003 foi professora na Escola Superior da Magistratura de Mato Grosso (Esmagis-MT), ministrando aulas de sentença cível e processo de execução.

No ano de 2003, foi convocada pelo então presidente da 1ª Câmara Cível do TJ-MT, desembargador Licínio Carpinelli Stefani, onde atuou como relatora em diversos recursos cíveis. A partir de fevereiro de 2005, exerceu o cargo de juíza substituta de segundo grau. No ano de 2006, foi designada juíza substituta do Pleno do TRE e juíza auxiliar da Propaganda Eleitoral, tendo inclusive elaborado a cartilha com as dicas necessárias ao cumprimento da propaganda eleitoral, a qual serviu de base para todos os Tribunais Eleitorais do país e juízes eleitorais do Estado. Em agosto de 2010, fez parte do corpo docente da instituição “Ética Aperfeiçoamento Jurídico”, filiada ao Complexo Damásio de Jesus, como professora no Curso Preparatório de Sentença Civil e Criminal, nas áreas de Direito Civil e Processo Civil.

Em dezembro de 2010, foi designada para compor a Diretoria da Escola Nacional da Magistratura — ENM como coordenadora na gestão de 2011/2013. Em fevereiro de 2011, foi designada para compor o Conselho Consultivo da Escola Superior da Magistratura do Estado de Mato Grosso – Esmagis-MT, como conselheira para o biênio de 2011/2013. Em abril de 2011 foi indicada para compor o Comitê Multi-institucional da Esmagis-MT.

Além de diversos cursos de aperfeiçoamento, Marilsen Andrade Addario é pós-graduada em Direito Civil e Processo Civil (2006), cujo tema da monografia foi “A responsabilidade civil por danos decorrentes da publicidade enganosa ou abusiva”. Também tem pós-graduação em Direito Notarial e Registral pelo Instituto Brasileiro de Estudos (2006/2010). A magistrada foi agraciada pela Escola Nacional da Magistratura com uma bolsa de estudos para o curso de pós-graduação em Direito dos Contratos e do Consumo na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (2007/2008). Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-MT.

Revista Consultor Jurídico, 9 de julho de 2012, 18h25

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 17/07/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.