Consultor Jurídico

Socorro por torpedo

Anatel terá de regulamentar SMS para emergência

A juíza federal Diana Brunstein, titular da 7ª Vara Federal Cível em São Paulo, determinou que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) regulamente o uso do Serviço de Mensagens Curtas (SMS de celular) para se comunicar com os serviços de emergência da Polícia Militar (190) e Corpo de Bombeiros (193). A juíza confirmou a liminar proferida em junho de 2010.

Em abril, a Anatel editou a Resolução 564/2011 que obriga às prestadoras a encaminhar as mensagens de texto de seus usuários destinadas ao respectivo serviço público de emergência, sem que lhe seja devido qualquer tipo de remuneração. Segundo o órgão, testes foram iniciados no estado de São Paulo a partir do dia 1º de dezembro de 2011.

O Ministério Público Federal propôs a ação civil pública, em 2010, após verificar que os serviços emergenciais não dispunham de equipamentos aptos a receber mensagens das pessoas com deficiência auditiva e, sendo assim, elas teriam seus direitos à comunicação e à segurança violados. Na época, a Polícia Militar afirmou haver dificuldade na implantação de um sistema para oferecer o serviço, pois a Anatel não havia regulamentado a questão, embora já houvesse várias solicitações neste sentido.

Na sentença, a juíza cita o inciso IV do artigo 203 da Constituição Federal que prevê como um dos objetivos da assistência social “a habilitação e reabilitação das pessoas portadoras de deficiência e a promoção de sua integração à vida comunitária”.  O artigo 9 do Decreto 6.949/2009 determina que o governo deve assegurar às pessoas com deficiência “informações, comunicações e outros serviços, inclusive serviços eletrônicos e serviços de emergência”.

De acordo com a juiza, “por tratar-se de dever constitucional assegurar a todos a eficácia dos princípios fundamentais da cidadania e da dignidade da pessoa humana e a aplicação imediata dos direitos e garantias individuais é legítima a pretensão do MPF para que haja regulamentação da utilização do SMS para serviços de emergência (190 e 193), merecendo ser definitivamente confirmada a antecipação da tutela jurisdicional anteriormente concedida”. Com informações da Assessoria de Imprensa da Justiça Federal de São Paulo.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 20 de janeiro de 2012, 16h28

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 28/01/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.