Consultor Jurídico

Aumento salarial

No RJ, piso de advogado passa para R$ 1.861

O piso de advogado que atua no Rio de Janeiro passou de R$ 1.630,99 para R$ 1.861,44. Na quinta-feira (7/2), a Assembleia Legislativa fluminense (Alerj) aprovou o Projeto de Lei 1.185/12, do Poder Executivo, que reajusta em 14,13% os atuais valores dos nove pisos regionais existentes no estado, incluindo o piso dos advogados. Graças a uma emenda, o piso é retraotivo a 1º de fevereiro.

O mesmo piso vale para administradores de empresas; arquivistas de nível superior; contadores; psicólogos; fonoaudiólogos; fisioterapeutas; terapeutas ocupacionais; arquitetos; engenheiros; estatísticos; profissionais de educação física; assistentes sociais; biólogos; nutricionistas; biomédicos; bibliotecários de nível superior; farmacêuticos; enfermeiros e turismólogo.

No Distrito Federal
O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, sancionou na segunda-feira (6/2) a lei distrital que define o piso salarial dos advogados empregados privados. Para uma jornada de 20 horas semanais, o piso será de R$ 1.500 mensais. A jornada de 40 horas semanais garantirá o mínimo de R$ 2.100 mensais. A norma prevê ainda o reajuste em cada primeiro de janeiro do ano subsequente, pela variação acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Agnelo Queiroz foi até a sede da OAB-DF para sancionar a lei. O texto do projeto de lei foi elaborado pela Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, presidida pelo conselheiro da OAB-DF Delio Fortes Lins e Silva Júnior, tendo como relatora a conselheira Marília Aparecida Rodrigues Reis Gallo. Com informações da Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Advogados do RJ.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 12 de fevereiro de 2012, 14h57

Comentários de leitores

1 comentário

Miséria

D4NieL (Servidor)

Que miséria!
Quando que índices pesquisados por institutos, sobre valores de produtos e serviços básicos, serão levados em conta?
Salário mínimo deveria ser de R$ 2.398,82, segundo o Dieese, para suprir suas necessidade básicas, como alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

Comentários encerrados em 20/02/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.