Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Rol de beneficiários

OAB tenta garantir direito a menor sob guarda

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil decidiu, no domingo (9/12), que irá ajuizar Ação Direta de Inconstitucionalidade para questionar o artigo 16, parágrafo 2º, da Lei 8.213/91, que excluiu do rol de beneficiários do Regime Geral de Previdência Social, na condição de dependentes do segurado, a figura do menor que esteja sob guarda por determinação judicial. A decisão foi tomada com base no voto do relator na OAB, o conselheiro federal por Sergipe, Miguel Eduardo Britto Aragão.

Segundo o relator, a alteração introduzida pela referida lei excluiu do texto da lei o menor que esteja sob guarda, mantendo entre os beneficiários da Previdência apenas o enteado e o menor tutelado. Para o conselheiro, a inovação viola diversos princípios constitucionais. Entre eles, o da proibição do retrocesso social, o que prevê respeito ao Estado Democrático de Direito, o da Dignidade da Pessoa Humana e o da máxima eficácia, devendo ser declarada inconstitucional neste aspecto. 

“O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê que o termo de guarda serve para garantir o direito do menor até mesmo com relação aos direitos previdenciários”, afirmou o relator. “Esse benefício não é ad eternum, mas até que a criança complete 21 anos de idade”, acrescentou Miguel Aragão. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB.

Clique aqui para ler o voto.

Revista Consultor Jurídico, 10 de dezembro de 2012, 17h33

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/12/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.