Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Direitos Humanos

Advogado é assassinado na porta de casa

O advogado Diego Luiz Berbare Bandeira, de 38 anos, foi assassinado com 14 tiros. O crime aconteceu por volta das 18h40 desta quinta-feira, dia 24 de agosto, na porta de sua casa, no município de Caraguatatuba, litoral de São Paulo.

Segundo a presidente da Subseção da OAB de Caraguatatuba, Gislayne Macedo de Almeida, Diego foi executado por dois homens que estavam em uma moto, ambos de capacete.

Bandeira era advogado criminalista e membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB de Caraguatatuba. “Era um advogado aguerrido e ativo. Foi uma grande perda da advocacia. Infelizmente, a violência está atingindo a todos”, afirmou Gislayne.

Em junho, ele e a advogada Aline Carlota haviam denunciado na Assembleia Legislativa de São Paulo as condições insalubres, tortura e falta de atendimento médico no Centro de Detenção Provisória de Caraguatatuba. Os advogados e o deputado Marco Aurélio também denunciaram relatos de abuso policial, tortura e extorsão à Procuradoria Geral do Estado. Os casos fazem parte de uma linha de investigação do homicídio.

“Vamos acompanhar as investigações sobre esse crime bárbaro e exigir sua imediata apuração e punição dos envolvidos. A advocacia está entristecida com mais esse episódio de violência, porque o trabalho do advogado é voltado à defesa dos direitos e garantias dos cidadãos e, quando um advogado é assassinado, essa agressão afeta toda a sociedade”, disse Marcos da Costa, presidente em exercício da OAB-SP. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB

Revista Consultor Jurídico, 24 de agosto de 2012, 18h41

Comentários de leitores

6 comentários

Inversão de valores!

Brecailo (Advogado Autônomo - Consumidor)

A OAB vai ter que contratar seguranças para cada advogado de São Paulo, para acompanhar vinte e quatro horas! O crime foi cometido na porta da residência e a culpa é da OAB e, não é mais caso de polícia! Afff.

descaso

Élison Vieira (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

Infelizmente nosso órgão de classe está preocupado em ser substituto do MP. É muito pouco o que é feito para os advogados. Agora, meter a colher onde não é chamado... A cada dia a OAB se encolhe. A de São Paulo, então, nem se fala.

A fraca atuação da Ordem

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Trago um exemplo para ilustrar a fraca atuação da Ordem. Consta de uma notícia veiculada por esta Revista Eletrônica (http://www.conjur.com.br/2012-ago-24/troca-ofensas-entre-advogado-promotor-juizo-nao-punida) que uma cliente promoveu denúncias falsas contra um colega advogado, com o intuito claro de não pagar pelos honorários advocatícios. Isso gerou a instauração de processo disciplinar, ação penal contra o advogado, e até mesmo coação em relação ao Advogado que defendia o colega na ação penal. Pelo que consta, o advogado acabou provando sua inocência em todas as esferas. Mas, e as providências em relação à cliente que fez todo esse "forrobodó"? Pelo que consta nada foi feito, embora certamente todas as imputações falsas contra o advogado tenham sido vastamente propaladas tanto pela mídia como pelo "boca em boca" (mas não as absolvições), o que enxovalha toda a classe e faz gerar a cultura de que "todo advogado é ladrão". Se acusações semelhantes tivessem sido proferidas contra um magistrado ou membro do Ministério Público, veríamos associações divulgando notas e outras providências, considerando as acusações como uma agressão a toda a classe, mas na advocacia não se vê nada disso, embora exista uma entidade criada por lei especialmente para promover a defesa da categoria.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 01/09/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.