Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Faca e martelo

Homem invade Defensoria Pública em SP e fere dois

O prédio da Defensoria Pública de São Paulo na Avenida Liberdade, no Centro de São Paulo, foi invadido por um homem armado nesta quarta-feira (25/4), por volta das 7h45. Dois seguranças que trabalham no prédio da Defensoria Pública ficaram feridos. Ele já havia sido atendido pela Defensoria em outra ocasião. O caso foi levado para a Central de Flagrantes no 8º Distrito Policial, no Brás.

De acordo com a assessoria de imprensa da Defensoria de São Paulo, o homem entrou no hall de atendimento ao público, no térreo, bastante exaltado segurando uma faca e um martelo. Dois seguranças desarmados de uma empresa terceirizada estavam no local. A unidade estava aberta desde as 7h para atender pessoas que procuravam o órgão pela primeira vez.

O rapaz agrediu então um dos seguranças, que caiu no chão ensanguentado. Um outro segurança e pessoas que aguardavam o atendimento tentaram deter o agressor. O segundo segurança também foi ferido levemente. O homem foi imobilizado até a chegada da Polícia Militar.

O atendimento chegou a ser suspenso, mas às 9h45 já estava normalizado. A assessoria também não soube informar se no local há câmeras de segurança que registraram a confusão.

“O homem gritava: 'fui injustiçado pela Defensoria' quando foi preso. Ele entrou no local com faca de cozinha e martelo. No lugar não há detector de metais. Os seguranças tentaram contê-lo e foram feridos. Depois chamaram a PM. Com o auxilio de outros seguranças, policiais militares o detiveram", afirmou o tenente Silva Neto ao site G1.

Segundo ele, os dois seguranças foram feridos com golpes de martelo na cabeça.  "Um dos seguranças continua internado. O outro foi liberado. Ainda não temos o nome do agressor".

Revista Consultor Jurídico, 25 de abril de 2012, 12h40

Comentários de leitores

19 comentários

Fiz e faço.

Pek Cop (Outros)

Fiz, faço e sempre farei o que qq homem de boa-fé faria...para quem nao me conhece sou aquele que deu entrevista na rede record.abraços do pek.

Eu que desarmei!

Pek Cop (Outros)

Eu estava na Defensória e este louco deu marteladas em dois seguranças e depois eu dominei ele e tirei o martelo, dois outros seguranças despreparados nao perceberam a acao e me empurraram quando eu gritei eu estou ajudando, o doido se levantou e sacou uma faca, então novamente consegui com a ajuda de populares a desarma-lo e o contivemos até a chegada da Pm, o indivíduo gritava: "a defensória tirou a guarda de meu filho, vcs sao os culpados". Foi um momento de sorte, e posso dizer que devo minha vida e de alguns ali presente a "ACADEMIA DE POLICIA CIVIL DO ESTADO DE SAO PAULO".

Números assombrosos

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A analucia (Bacharel - Família) e o daniel (Outros - Administrativa) estão com a razão ao dizer que desde a expansão da Defensoria o número de presos cresceu assombrosamente. Concorde-se ou não isso é uma verdade. É sempre muito difícil analisar a atuação de um advogado ou defensor em um processo. Cada causa é uma causa, e somente com uma análise extremamente rigorosa se pode chegar a conclusões segurada sobre a atuação do profissional, embora alguns "barbarismos" possam ser facilmente identificáveis. O aumento no número de prisões, assim, acaba sendo um bom indicativo da falência do sistema de defesa, considerando inclusive que a maior parte dos presos brasileiros são provisórios, ou inocentes condenados ou mantidos presos sem sentença por perseguição, lembrando que milhares deles foram soltos por mutirões organizados pelo CNJ (não pela Defensoria) e as medidas menos repressivas se expandiram nos últimos anos (quando a prisão passou a ser uma exceção).

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/05/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.