Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ação de crackers

Site de ministério e do Senado também são invadidos

A lista de sites do governo invadidos pelos crackers do LulzSecBrazil aumentou. Nesta quinta-feira (23/6), o grupo entrou nas páginas do Ministério do Esporte e do Senado Federal. Na quarta-feira (22/6), sofreram invasões semelhantes os endereços da Presidência da República e do próprio governo. Todos eles ficaram foram do ar. As informações são dos portais Terra e Último Segundo.

A assessoria de imprensa do Senado informou que o Serviço de Processamento de Dados do Senado Federal (Prodasen) ainda não sabia qual a causa do problema. E mais, disse que esse tipo de ataque é comum. Outros sites que são vinculados ao portal do Senado podem ser acessados normalmente. É o caso da página da "Agência de Notícias do Senado Federal".

Já a assessoria de imprensa do Ministério do Esporte disse que a invasão não afetou dados e o coração do sistema, sem maiores consequências", sendo periférica. nquanto isso, o grupo afirmou, pelo Twitter, ter copiado dados protegidos no site do ministério, mostrando supostas diferenças entre contribuições e recebimentos de dinheiro do governo federal em Estados que sediarão jogos da Copa do Mundo, em 2014. Os dados foram disponibilizados aos internautas.

Ao comentar o assunto à revista Consultor Jurídico, o advogado Omar Kaminski, especialista em Direito da Informática, disse que o ataque pode servir de pretexto ou motivação para a aprovação do projeto de lei de cibercrimes que tramita há mais de 10 anos. Ele ainda demonstra preocupação com os sites do Judiciario. "Com o processo eletrônico, os tribunais estão cada vez mais informatizados e sem papel. Cabe indagar se estão preparados para um ataque cracker maciço, e se já existem medidas de contingência ou alternativas para que o Judiciário não pare, literalmente, prejudicando todos os envolvidos”.

Por volta das 16 horas, a página da Presidência da República também não estava em funcionamento. O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) se defendeu dizendo que não ocorreram ataques contra a página da Presidência República, mas sim uma pequena instabilidade ocasionada por problemas com os servidores.

Revista Consultor Jurídico, 23 de junho de 2011, 18h01

Comentários de leitores

1 comentário

Vingança da Itália ?

JA Advogado (Advogado Autônomo)

Não é estranho que a origem dos ataques seja a Itália e que, coincidindo com a concessão de cidadania ao Malvado Battisti, todos os ataques se dirijam a órgãos governamentais ? Fala Lula !

Comentários encerrados em 01/07/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.