Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pior índice

OAB reprova nove em cada 10 bacharéis de Direito

Nove em cada dez bacharéis de Direito são reprovados no Exame da Ordem dos Advogados do Brasil. O índice de aprovação de apenas 9,74% foi registrado na última prova da entidade, feita em dezembro de 2010, quando se inscreveram 116 mil pessoas. As informações são da Agência Estado.

O resultado da prova de dezembro de 2010 é o pior da história da OAB. Até então, o pior índice havia sido registrado no primeiro exame de 2010, quando somente 14% dos 95,7 mil inscritos obtiveram sucesso.

O professor Luiz Flávio Gomes, fundador da rede de ensino LFG, lembra que a prova foi unificada no ano passado. Para ele, o número desastroso de aprovações tem a ver com essa mudança. A porcentagem de aprovados, na média entre os três concursos anuais, caiu de 28,8%, em 2008, para 13,25%, em 2010. Antes, como cada estado fazia sua própria seleção, um candidato poderia encontrar provas mais fáceis em determinadas regiões do país.

Marcelo Tadeu Cometti, coordenador de pós-graduação no Complexo Damásio de Jesus, acredita que o problema começa na educação básica. "O aluno não tem formação para entender o que é oferecido no ensino superior, e a culpa é do Estado. Se os docentes das melhores universidades de São Paulo forem colocados para lecionar nessas faculdades de baixo índice de aprovação, os resultados não serão melhores". Para ele, aluno com má formação e sem hábito de leitura não é aprovado.

A primeira prova de 2011 acontece no dia 17 de julho e, a segunda, em 21 de agosto. Os resultados serão divulgados em 13 de setembro.

Revista Consultor Jurídico, 4 de julho de 2011, 12h02

Comentários de leitores

15 comentários

FALÁCIA DA OAB

huallisson (Professor Universitário)

As estatísticas divulgadas pela OAB são falaciosas, visto que escondem uma verdade real.Entre os 9% que a OAB diz aprovar no Exame de Ordem têm bacharéis que vêm repetindo o Exame anos a fio.Ademais, existem os que passam mas por vindita a Ordem não aceita.Há também os que compram o gabarito - assim sobejam informação na banda boa da mídia.É como bem disse o Ministro da Educação:"O Exame da OAB não tem base técnico-científica". E ainda mais advocacia é, antes de tudo , arte.A Ordem, que acabou com o estágio-prático acha que faz um Pelé tão somente nos bancos da universidade.Todavia, isto é coisa nossa!...Que o diga Battisti.Esse,sim, é o Cara, pelo menos, para o Supremo. Pedro Cassimiro - advogado não inscrito na Ordem, economista e professor.
Brasília - DF

Até aonde vai essa cegueira?

cida (Bacharel - Civil)

Gente diz um dito popular:" O PIOR CEGO É AQUELE QUE NÃO QUER VER"!Admiro muito que ainda tenha gente achando que a atuação da OAB, que faz uma prova para reprovar " 90%" dos Bacharéis em Direito está correta. Veja bem, quando uma prova realizada por "especialistas em educação", reprovam a maioria dos que fizeram a prova a culpa é dos elaboradores, isto é, dos professores que elaboraram, que não tem como finalidade aferir conhecimento, mas sim com o intuito de reprovação em massa. é visível que isto ocorre para limitar, reservar,humilhar e por os bacharéis no "chinelo", em baixo dos pés de uma minoria egoísta que só pensa no próprio ventre, que pensa que o espaço está pequeno e que somente eles podem advogar. Por que isto ocorre? Por que a reserva de mercado? Será que estão preocupados de ficarem sem "seus espaços"? O que está havendo estão cegos? Será que não querem perceber que há algo de muito podre em tudo isto? PESSOAL, tá na cara , não é possivel que não percebam que em todo território nacional, somente "10" dez por cento dos bacharéis são aprovados. Na verdade,são poucas as pessoas estão ficando com todo o dinheiro arrecadado em cada exame da OAB, para mim esse exame é uma fraude, de pouca ética ou nenhuma ética, abuso de poder e ENRIQUECIMENTO ILÍCITO.Uma coisa eu sei assim como na ditadura, "Nada fica encoberto que não seja revelado", assim diz o maior mestre de toda a terra, o especialista em justiça, Dr. Jesus,o juiz e defensor dos "pobres e oprimidos". E assim será, toda verdade virá a tona e todos os egoistas, "donos do mundo" viverão para ver, amém!

De quem é a responsabilidade do ensino superior?

baroch (Outros)

A meu ver a OAB não tinha que se meter nas questões educacionais, mormente aplicar exames aos bacharéis.
As universidades e faculdades aplicam provas bimensais de avaliação que é muito fácil para obter nota, já a OAB aplica prova global abrangendo todo o programa do curso, tornando-se bem mais difícil obter aprovação.
Penso que é preciso adequar as escolas superiores ao regime de prova da OAB, elas aplicariam aos alunos além das provas bimensais uma prova anual para avaliação do ano, sendo a média das bimensais somada a nota anual dividido por dois, se a nota for superior a cinco o aluno passa de ano.
Ao final do curso além da nota anual aplicaria ao aluno umas prova teórica e outra específica, valendo toda matéria dos cincos anos. Obtendo o aluno nota superior a cinco recebe o diploma,
Dessa forma tenho certeza que não haveria mais reprovações nos exames da OAB, assim ficaria bem para todos.
O sistema atual além de barrar o bacharel lhe causa prejuízos, quem será responsabilizado por este dano.
Afinal as escolas de ensino superior são para formar profissionais ou simplesmente distribuidores de diplomas.
Essa e a questão!!!!!!!!!!!!!!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 12/07/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.