Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Luzes sobre o Judiciário

Rio de Janeiro terá seu Anuário da Justiça 2010

Foto de todos os Anuários 2007 a 2009 - ConJur

O Judiciário fluminense vai ganhar, pela primeira vez, uma radiografia à altura de sua importância no cenário jurídico brasileiro com o lançamento do Anuário da Justiça do Rio de Janeiro 2010. A obra faz parte da série editada e publicada pela revista eletrônica Consultor Jurídico, desde 2007, quando foi lançado, o Anuário da Justiça, atualmente em sua quarta edição, com o mapeamento completo de todos os tribunais superiores.

O Anuário da Justiça do Rio de Janeiro 2010, já em fase de produção, pretende ser uma fonte de referência para todos aqueles que atuam na área do Direito e da Justiça. Além do perfil de quase 200 desembargadores, o anuário trará a composição de cada uma das 20 câmaras cíveis e oito criminais que compõem o TJ fluminense, bem como as principais decisões tomadas pelos julgadores e os seus efeitos sobre a sociedade.

Com o perfil dos julgadores e a forma como decidiram nos processos julgados ao longo dos últimos 12 meses, é possível saber, com um alto grau de razoabilidade, como costumam votar os integrantes de cada câmara nos processos envolvendo as diversas áreas do Direito Público e Privado e na esfera criminal, assim como medir o comportamento de cada um deles no atendimento às partes do processo.

A Justiça de primeiro grau, a Justiça itinerante, Eleitoral e Trabalhista, o Ministério Público e a Justiça Federal também serão objetos de acompanhamento do Anuário 2010. A obra mostrará ainda o esforço do Judiciário do Rio para ingressar no novo ambiente da justiça digital e o estágio em que se encontra em relação às metas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça para derrubar o fantasma da morosidade que paira sobre o judiciário de todo o país, um dos componentes principais para a sensação de impunidade que permeia a sociedade.

A independência editorial e uma equipe altamente especializada, composta por jornalistas e editores da revista eletrônica Consultor Jurídico, além de uma rede de colaboradores que atuam diretamente nos tribunais tornam os anuários produzidos pela ConJur ferramentas de consultas diárias para aqueles que já estão ou logo estarão no mercado de trabalho, além de professores e historiadores. Com base nos anuários lançados até agora, a expectativa é que em breve o Anuário da Justiça do Rio de Janeiro 2010 faça parte do acervo dos principais escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de grandes empresas não apenas do Rio, mas de todo o país.

Diante do sucesso editorial da série nacional dos anuários publicados pela ConJur, contemplando o Supremo Tribunal Federal e os tribunais superiores de Justiça, do Trabalho, Eleitoral e Militar, tão logo anunciado o lançamento do Anuário da Justiça do Rio de Janeiro 2010 vários e importantes escritórios de advocacia já garantiram espaço na publicação.

Da lista de anunciantes, já fazem parte, ente outros, Antonelli & Associados; Barbosa Müssnich Advogados; Ferro, Castro Neves, Daltro & Gomide Advogados; Fontes & Tarso Ribeiro Advogados; Gamil Föppel Advogados; e Moraes Pitombo Advogados.

Clique aqui para saber mais sobre o Anuário da Justiça do Rio de Janeiro 2010.

Revista Consultor Jurídico, 1 de junho de 2010, 15h58

Comentários de leitores

1 comentário

ESPERO QUE SE LEMBREM DE TUDO MESMO !

Luiz Pereira Carlos (Técnico de Informática)

AVENIDA CARLOS LACERDA
*
Conhecida por Linha Amarela - que em face da indivisibilidade deste tributo penalizam apenas 20% dos usuários desta AVENIDA que pagam o pedágio enquanto o restante 80% ou seja a maioria dos 400 mil usuários dia trafega absolutamente sem pagar nada “de graça” ou melhor por conta e à custa da minoria sendo servido de todos os direitos inerentes aos pagantes criando enormes engarrafamentos diariamente
*
http://sites.google.com/site/cariocaotario/
*
OAS-LAMSA-PREVI/BB-INVEPAR fundado 06.12.1995 licitado retroativamente em 09.12.1994, a LAMSA sequer existia, em 1997 no 1o. ano ampliam prazo de concessão de 10 pra 25 anos agora pra 40 anos sob alegações infundadas!? (LEI Nº 8.666, DE 21 DE JUNHO DE 1993... Art. 1o)
*
O vencedor desta AVENIDA T5-Catonho terá direito pra administrar ligação Barra/Deodoro/Aeroporto e criar nova praça de pedágio urbano
*
DOSSIÊ LAMSA
http://www.orkut.com.br/Main#AlbumList?uid=6477029336734707122
http://www.cvm.gov.br/port/descol/respdecis.asp?File=5403-1.HTM

Comentários encerrados em 09/06/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.