Consultor Jurídico

Notícias

Caso Arruda

CPI que apura esquema de corrupção no DF é suspensa

O afastamento de oito deputados e dois suplentes suspeitos de participarem de esquema de corrupção no Distrito Federal, determinado na quarta-feira (20/1), suspendeu a CPI que apura o chamado mensalão do DF e pedido de impeachment do governador José Roberto Arruda. A decisão da Câmara Legislativa do Distrito foi baseada na interpretação de deputados governistas a respeito da liminar do juiz Vinícius Silva, da 7ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal. As informações são da Agência Brasil.

Vinícius Silva considerou nulo “todo ato deliberativo já praticado pela casa, no qual houve a interferência direta e cômputo do voto dos deputados ora afastados”. De acordo com o presidente da CPI, Alírio Neto, os distritais afastados assinaram os atos para indicação dos membros da CPI e também de autoconvocação da casa.

A conclusão da CPI foi tomada pela maioria dos membros da comissão — quatro de um total de cinco. “Não serei eu que não cumprirei a decisão judicial. O Judiciário não quer que essa casa se manifeste sobre tudo isso que está acontecendo. É uma ingerência descabida do Judiciário no Legislativo, que fere o Estado Democrático de Direito”, afirmou o vice-presidente da CPI, Batista das Cooperativas.

O deputado Paulo Tadeu foi o único contra a decisão. Ele entendeu que a declaração do juiz anulava somente os atos relacionados aos processos de impeachment, deixando de fora a comissão. “Nem o juiz nem o Ministério Público determinaram o cancelamento da CPI. Não tenho dúvidas”, afirmou. O fim da CPI cancela o depoimento do ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, responsável pela denúncia à Polícia Federal do suposto esquema de corrupção. 

Revista Consultor Jurídico, 21 de janeiro de 2010, 21h18

Comentários de leitores

4 comentários

OS AMIGOS DE ARRUDA

Luiz Pereira Carlos (Técnico de Informática)

Não é verdade que esse esquema seja novo, o esquema do panetone já é parte de uma ramificação do esquema do mesmo grupo. Liderados pelos que hoje comandam o partido dos DEMOCRATAS, o esquema começou até mesmo antes de Marcos Valério, que faz parte desse mesmo esquema, hoje do Arruda, vem de grupos ligados a Mineradoras, e a OAS empreiteira, e a coisa foi crescendo e dominando a situação para assaltar os cofres publico. Na verdade, esses esquemas foram articulados ainda no governo FHC, porem mal sucedido, reabilitou-se como atual, o mesmo grupo que enxertou a constituição de 1988, criando situações de embaraço. O assunto é bastante complexo e atuam no esquema o Poder Judiciário, aliado ao Executivo e Legislativo. O que precisa ser explicado e que ninguém ainda explica é a origem do dinheiro, falar que veio de empreiteiras é muito vago. Na verdade essa grana esta vindo das PRAÇAS DE PEDAGIO, cuja maioria detém a arrecadação diária em cofres fortes pessoais que ficam abaixo das cabines de arrecadação. Portanto é um dinheiro praticamente irreconhecível, cujo destino não é só pras autoridades que autorizam, mas também praqueles que deveriam fiscalizar como a SEFAZ, TC, TJ, STF, MP, etc. Lembrem que o primeiro dinheiro na cueca foi encontrado no Rio de janeiro, e o dinheiro era composto de notas pequenas de dez e cinqüenta reais tendo inclusive notas de cinco e um real à época. O esquema esta montado, e LULA vieram descobrir bem mais tarde com a implantação do primeiro pedágio em AVENIDA MUNICIPAL no RJ que foi a LINHA AMARELA. Na época CESAR MAIA, que na minha opinião...

AMIGOS DE ARRUDA - CONTINUAÇÃO...

Luiz Pereira Carlos (Técnico de Informática)

é a maior liderança do esquema, alardeava aos quatro ventos que ele seria o melhor administrador publico do País, e que o RJ tinha superávit em caixa, inclusive para bancar qualquer aporte financeiro para as obras do PAN e das futuras olimpíadas. Mas LULA já sabendo do esquema veio ao RJ e reivindicou a sua parte no bolo e o Factóide Maia se aborreceu, LULA firmou posição sob alegação de que pedágios são de origem constitucional e legal atributos federais e que esse iria trabalhar no sentido de acabar com a comidilha caso não fosse favorecido. Imediatamente, como retaliação o CESAR MAIA abandonou a administração dos hospitais federais largando a própria sorte o sistema de saúde, a ponto das forças armadas terem que montar hospitais de campanha pra atender ao publico Carioca, cuja época havia indícios de surtos virótico. Foi o caos, mas tanto LULA quanto Cesar se acertaram, e o esquema foi ramificado pra Brasília sob a liderança também do DEM, porem administrado por Arruda e seus comparsas, que logo de inicio teve o primeiro tropeço e foi a tribuna se desculpar. Acontece que o esquema dominou as principais cadeiras publicas do País, de maneira irreversível e incontrolável, pois quando o esquema cai quase sempre esta BLINDADA, de maneira que se a POLICIA FEDERAL e o MINISTERIO PUBLICO FEDERAL (parte desses, e não todos pois alguns também estão no esquema) não tiverem liberdade para atuar, o que vai ser difícil libera-los, pois isso significaria derrubar a republica, não vamos conter a corrupção, apenas vamos legalizá-la em quadrilhas organizadas como a DOS AMIGOS DE ARRUDA.

CPI de Corrupção???

Zerlottini (Outros)

De que adianta colocar corruptos para fazerem uma CPI sobre corrupção? São TODOS CULPADOS, sem exceção! É melhor cancelar mesmo. Assim, pelo menos, se economiza o dinheiro dos contribuintes. Até hoje, em 64 anos de vida, eu não tenho conhecimento de uma CPI que não tenha terminado em pizza. Gasta-se o dinheiro dos contribuintes, para eles FINGIREM que estão trabalhando e, no fim, acaba dando em absolutamente nada. Podem ser citadas algumas centenas de pizzas à congresso nacional. A do Renan, a do Sarney, a da Petrobrás, etc., etc.
Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 29/01/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.