Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Exclusividade na captação

Caixa receberá depósitos judiciais do TRT da Bahia

Na Bahia, as ordens judiciais de bloqueios e transferências de depósitos judiciais devem ser redirecionadas para a Caixa Econômica Federal. O Ato 481/2010, assinado pela desembargadora Ana Lúcia Bezerra Silva, presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região, também orienta os juízes, depois do decurso de 90 dias, a determinem a transferência de todos os depósitos judiciais existentes na sua jurisdição para Caixa.

O ato leva em consideração um convênio firmado entre o TRT-5 e a Caixa, com aprovação do Pleno da Corte. Com ele, o banco passa a ter exclusividade na captação dos depósitos judiciais. Como contrapartida, a Caixa financia a construção da futura sede do tribunal no Centro Administrativo da Bahia.

Na capital, a centralização ocorre na Agência 1509-1 e, no interior, nas agências indicadas pelo juízo, quando a cidade tiver mais de uma agência da Caixa Econômica Federal. Com informações da Assessoria de Comunicação do TRT-5.

Revista Consultor Jurídico, 29 de dezembro de 2010, 16h22

Comentários de leitores

1 comentário

OXALÁ A Dra. ANA LÚCIA NÃO COMETA O 1º ERRO DA BELA GESTÃO

Hudson Resedá (Advogado Sócio de Escritório - Trabalhista)

O exemplo não é bom. É o pior possível. Igual procedimento foi adotado em gestão anterior,quando Juizes e Diretores foram orientados a encaminhar depósitos EXCLUSIVAMENTE para o Banco do Brasil. Uma calamidade. Um absoluto desrespeito com advogados e jurisdicionados, que passaram a atuar como "boy" do BB, haja vista a obrigatoriedade de, inicialmente comparecerem ao Banco para localizar o comprovante do depósito; em seguida se dirigirem à Secretaria da Vara para que fosse preenchido o Alvará, após o que voltavam ao BB para recebimento do montante. Louvemos o esforço dos empregados do Banco, em número muito reduzido, o que, apesar dos ingentes esforços, acarretava discussões entre clientes e funcionários, por vezes com ofensas e xingamentos, face a demora inaceitável e insuportável, superior a 01, 02 ou 03 horas. Um ABSURDO. E pouco ou quase nada foi feito para a melhoria do atendimento e diminuição do sofrimento, inclusive, dos próprios advogados. Aí me incluo, por não ter optado por permanecer no Escritório e determinar a outros advogados e estagiários a prática de tais atos. E não o faço simplesmente pelo fato de viver e transpirar esta honrosa Justiça do Trabalho, em especial da 5ª Região. Assim, me sinto com autoridade suficiente para tornar público, a nível de outros Regionais, o descaso com os profissionais do Direito, ao menos no tocante ao serviço bancário disponibilizado. E tudo isso, DESTAQUE-SE, em virtude da FALTA DE CONCORRÊNCIA salutar entre o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Vamos dar adeus, e não um simples até logo ao Banco do Brasil. Aguardemos melhor sorte com a Caixa Econômica e o esforço desmedido de Silvia, Paulo Maciel, Otávio, Alberto, Gerente Júnior e tantos outros. A sorte está lançada.

Comentários encerrados em 06/01/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.