Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mutirão Judiciário

Instituto Pro Bono orienta moradores de periferia

Doze advogados, um estudante de Direito e uma intercambista de Moçambique, participante do projeto de intercâmbio da Conectas Direitos Humanos. Com essa equipe, o Instituto Pro Bono fez um mutirão no Jardim Alto Alegre, em São Mateus, periferia de São Paulo, em 26 de novembro. A população recebeu orientação jurídica nas áreas de Direito de Família, Civil, Infância e Juventude, Previdenciário e Trabalhista. Mais de 50 pessoas foram atendidas.

Para combater a desinformação, o Mutirão Pro Bono busca promover e compartilhar conhecimentos da área jurídica, contribuindo para o reforço da cidadania. De acordo com o instituto, “seguros destes direitos, os cidadãos são capazes de adotar uma nova postura e passam a desenvolver um novo padrão de relacionamento na comunidade, e também junto às autoridades e ao Governo”.

Os voluntários esclarecem as dúvidas mais comuns dos cidadãos por meio de orientações práticas. Além de temas como Família e Previdência, outros podem ser tratados durante os mutirões, como meio ambiente, direitos do consumidor, direitos humanos e moradia. Cada comunidade escolhe de antemão quais assuntos vai querer abordar. Para que esse diálogo fique mais fácil, o Instituto Pro Bono conta com o apoio de ONGs parceiras atuantes nas comunidades.

O trabalho desenvolvido é de orientação jurídica, não sendo possível o ingresso ou o acompanhamento de processos judiciais devido a impedimentos colocados pela OAB paulista, na Resolução Pro Bono. Com informações da Assessoria de Comunicação do Instituto Pro Bono.

Revista Consultor Jurídico, 20 de dezembro de 2010, 14h19

Comentários de leitores

2 comentários

Bom trabalho

Daniel Chiaretti (Defensor Público Federal)

É uma pena que a OAB coloque restrições à atuação da advocacia Pro Bono. Isso só ajuda a fortalecer a figura do advogado dativo, que vive do dinheiro público mas não se submete a nenhuma espécie de concurso ou às regras do livre mercado...

parabéns !

analucia (Bacharel - Família)

parabéns !
Estes são verdadeiros sacerdotes da justiça e não meros mercenários do processo.

Comentários encerrados em 28/12/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.