Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Estranhos no ninho

Um quinto dos advogados não sabe para que serve o quinto

Em meio à polêmica sobre a lista da OAB rejeitada pelo Superior Tribunal de Justiça, 18,3% dos advogados e estudantes de Direito afirmam que não sabem qual é a finalidade do quinto constitucional. Apesar disso, o quinto é aprovado por 68% dos pesquisados. O número foi levantado pelo Instituto Maurício de Nassau em pesquisa com 506 entrevistados feita na quarta-feira (12/11) durante a XX Conferência Nacional dos Advogados, que acontece em Natal até sábado (15/11).

A maioria dos advogados e estudantes de Direito também são a favor de uma reforma constitucional. Segundo pesquisa, a reforma é apoiada por 59% dos entrevistados.

A pesquisa sobre o que pensam os profissionais do Direito mostra que 70,5% dos entrevistados acreditam que o Judiciário precisa fiscalizar o uso de escutas telefônicas em investigações policiais. Outro indicador mostra que 57,3% dos pesquisados consideram que não é adequada a nomeação dos ministros do Supremo Tribunal Federal por parte do presidente da República.

Mais de 86% se dizem contra a idéia de abrir mão do sistema democrático por menos desigualdade social ou redução da criminalidade. No entanto, 16,7% dos entrevistados defenderam que a imprensa deva ser parcialmente controlada pelo Estado.

Surpreendentemente, mais de 7% dos entrevistados são contra o Habeas Corpus. O uso de algemas é aprovado por 35,9% dos pesquisados — contra 61,7% que são contrários. Para 71% dos entrevistados, o Ministério Público deve ter o poder de investigar.

De acordo com o cientista político Adriano Oliveira, coordenador da pesquisa, o levantamento tenta fazer um diagnóstico das idéias defendidas pelos profissionais do Direito. “O objetivo é verificar o que pensa uma classe que tem poder e, por conseqüência, tem condições de pressionar as instituições da República”, afirma.

Para ele, a classe mostra algumas contradições ao apoiar o quinto e ser contra a atual forma de nomeação dos ministros do STF. “Caso eles suspeitem de algum tipo de influência sobre o nomeado estamos diante de uma contradição, pois os pesquisados são favoráveis ao quinto, mas não levantam suspeita sobre ele”, afirma.

Revista Consultor Jurídico, 14 de novembro de 2008, 21h28

Comentários de leitores

8 comentários

"Um quinto dos advogados não sabe para que serv...

futuka (Consultor)

"Um quinto dos advogados não sabe para que serve o quinto" .. -- Áhh vai pros quinto dos ...!brincadeira

No percentual informado, a afirmação não pode s...

Paulo Jorge Andrade Trinchão (Advogado Autônomo)

No percentual informado, a afirmação não pode ser verdadeira, mesmo levando-se em consideração que a tal pesquisa fora realizada em Natal-RN. Creio que trata-se de mais um expediente espúrio para chafurdar a advocacia e os próprios advogados.

O quinto constitucional é a maior aberração rep...

Republicano (Professor)

O quinto constitucional é a maior aberração republicana, pois, a OAB e MP já estão representados no Judiciário através do CNJ. Quem quiser ser juiz que faça concurso; é muito simples.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 22/11/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.