Consultor Jurídico

Fogo controlado

Fórum João Mendes em São Paulo tem princípio de incêndio

Um princípio de incêndio ocorreu, na tarde desta quinta-feira (25/3), no 14º andar do prédio do Fórum João Mendes Júnior, no centro de São Paulo. O fogo foi contido, rapidamente. A partir das 16h20, horário do incidente, o Tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu o expediente no Fórum.

Nesta sexta-feira (28/3), o expediente volta ao normal, com exceção do 13º e 14º andares, que ficarão interditados para limpeza e para facilitar o trabalho dos peritos do Instituto de Criminalística. A perícia deve ser concluída no prazo de 30 a 45 dias.

As primeiras informações indicam que o fogo começou num aparelho de ar condicionado e atingiu parte dos equipamentos de informática que, no entanto, não vinham sendo utilizados, pois estavam obsoletos.

Não houve nenhum dano ao conteúdo dos processos. A brigada de incêndio dos funcionários do Fórum João Mendes tomou providências de imediato até a chegada do Corpo de Bombeiros, que foi rápida.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 27 de março de 2008, 21h12

Comentários de leitores

2 comentários

Concordo plenamente com o colega da Torre de Vi...

Bertolão (Advogado Autônomo - Dano Moral)

Concordo plenamente com o colega da Torre de Vigia. Algúem já reparou nas dependências do forem regional da Lapa, aqui em Sâo Paulo? Aquilo já deveria ter sido interditado há muitos anos...e o regional de Santana que funciona há anos e sequer tem iluminação de emergência? Creio que para esses casos a legislação seja outra, específica, própria.

Está aí mais um caso de desconfiança do cidadão...

Torre de Vigia (Outros)

Está aí mais um caso de desconfiança do cidadão em relação a alguns agentes públicos: O prédio do Fórum João Mendes não tem condições de funcionamento, correndo risco de vida os milhares funcionários, advogados, pessoas do público que nele diariamente estão. Contudo, misteriosamente, a Prefeitura de São Paulo nada faz. O Ministério Público parece não existir. Mas, em relação ao Shopping Bourbon, que aguardou 20 anos para iniciar sua atividade, é misteriosamente, em ano eleitoral, prejudicado e não pode inaugurar na data agendada. Depois, no dia seguinte, misteriosamente, anuncia a Prefeitura que vai permitir a reabertura nesta data. Pergunto: quais são os critérios utilizados? ano de campanha eleitoral influencia? Porque Promotora de Justiça, que devia estar fiscalizando os inquéritos policiais e formulando denúncias, está no cargo político, como sub-prefeita, recebendo do Estado? O MP é independente e tem condições de desempenhar seu papel constitucional dessa forma? É preciso acordar. Urge reforma constitucional para unificação das carreiras de Delegado de Polícia e Ministério Público, pondo fim na discussão sobre a competência para investigar. É preciso que os Promotores de Justiça trabalhem na sua função, no resgate da respeitabilidade da Instituição junto à sociedade. Chega de arguivamento de inquéritos de tubarões graúdos na véspera de mudança do Chefe do MP Paulista. Acorda Brasil!

Comentários encerrados em 04/04/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.