Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Nuvem negra

É melhor lidar com militar do que com a PF, diz advogado

Entre lidar com militares, ainda que no período da ditadura, e com a Polícia Federal de hoje, o advogado Amauri Serralvo não pestaneja: prefere o primeiro grupo. Serralvo é observador do conselho federal da OAB no inquérito policial militar que apura a greve dos controladores de vôo em 30 de março. Ele fez a defesa na sessão plenária do conselho desta terça-feira (8/5).

O advogado afirma que no caso do inquérito dos controladores o encarregado da investigação, coronel Carlos Eurico Peclat, tem permitido que os advogados acessem as informações disponíveis.

A alusão feita por Serralvo é com a Operação Hurricane, deflagrada pela Polícia Federal para a apuração de crimes de lavagem de dinheiro e jogo do bicho, durante a qual o acesso dos profissionais a seus clientes presos recebeu inúmeras restrições.

“O que chama a atenção é exatamente o fato de os militares estarem respeitando as prerrogativas profissionais com uma serenidade muito maior do que no campo da Polícia Federal, sem qualquer atropelo e sem que isso represente um constrangimento”, afirmou. “Não devia ser assim. A PF deveria trabalhar com maior atenção às prerrogativas dos profissionais que militam na Justiça”.

Sobre o inquérito dos controladores, de acordo com o observador, o procedimento ainda não foi terminado. Vinte profissionais estão sendo ouvidos em sigilo por dia. Outros 180 controladores que estavam em serviço no dia da paralisação nos aeroportos deverão ser convocados em até 20 dias.

Revista Consultor Jurídico, 8 de maio de 2007, 19h01

Comentários de leitores

12 comentários

Esse stilo é o infitivo presente do subjuntivo!

wowelster (Praça da Aeronáutica)

Esse stilo é o infitivo presente do subjuntivo!

Pelo menos os militares, depois da redemocratiz...

Márcio Aguiar (Advogado Sócio de Escritório)

Pelo menos os militares, depois da redemocratização, respeitam a Constituição Federal. Do lado da Polícia Federal, parece que a Carta Magna não é sequer citada nas aulas da Academia. Achar corretas tais atitudes de alguns membros da PF, além de legitimar um atentado à democracia e à legalidade, é uma afronta à Justiça que com tais abusos alguns dizem querer ver concretizada. Ademais, a redução da questão a simplórios, fúteis e pueris comentários, como alguns dos aqui vistos, é de fazer rir o mais carrancudo dos homens.

É cada absurdo que se lê aqui... não bastasse o...

Rafael Leite (Assessor Técnico)

É cada absurdo que se lê aqui... não bastasse o artigo, os comentários arrematam o clima surrealista... Defender o regime militar corrupto, subserviente de interesses externos, desrespeitoso dos direitos da população, não difere muito da postura de um neonazista, haverá neoditaduristas entre nós?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/05/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.