Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Estágio na Justiça

Judiciário paulista vai contratar 1.750 estudantes de Direito

O Judiciário paulista vai contratar 1.750 estudantes de Direito como estagiários. O anúncio foi feito, na segunda-feira (16/7), pelo presidente do Tribunal de Justiça, Celso Limongi. A contratação vai permitir que cada juiz paulista possa contar com um estagiário no trabalho em suas varas.

A medida representa a ampliação do contrato do TJ paulista com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) de mil para 2.750 vagas para estudantes de Direito. Os contratos de estágio têm vigência de um ano e podem ser prorrogados. O expediente é de 4 horas por dia, de segunda a sexta-feira, e será pago uma bolsa-auxílio de R$ 350, mais auxílio-transporte.

A seleção dos interessados será feita pelo Centro. A preferência será por estudantes do quarto ano do curso de Direito, que deverão inscrever-se pelo site www.ciee.org.br. É necessário que a faculdade também tenha convênio com o CIEE.

O TJ-SP possui convênio com o Centro de Integração desde 2005 e também disponibiliza 6 mil vagas para estagiários de nível médio, em que os estudantes desempenham funções nos cartórios, desenvolvendo habilidades de relação pessoal (atendimento ao público e convivência com outros profissionais) e concentração no trabalho.

De acordo o TJ-SP, o recrutamento dos estagiários não tem intenção de suprir ou ocupar as atribuições dos funcionários de carreira.

O advogado Ricardo Tosto, da Comissão de Modernização do Judiciário da OAB paulista, comemorou a iniciativa do desembargador Celso Limongi. “Contratar estagiários pode aumentar mais a produtividade do tribunal”, afirma.

Segundo o advogado, a contratação de estagiárias era uma das propostas feita pela Comissão ao presidente do TJ-SP no começo deste ano. Outro projeto defendido pelo advogado é o da contratação de jovens carentes, por meio do programa “Aprendiz”, para trabalhar no “operacional” do Tribunal de Justiça paulista. “Assim, os com mais qualificação desenvolveriam os trabalhos mais complexos. O nível de produtividade do tribunal certamente iria melhorar”, diz.

Revista Consultor Jurídico, 17 de julho de 2007, 0h00

Comentários de leitores

3 comentários

Não é o Judiciário que está contratando. Somos ...

allmirante (Advogado Autônomo)

Não é o Judiciário que está contratando. Somos nós, é nosso dinheiro, é parte de nosso suor de cada dia. É um descalabro fazer cortesia com chapéu alheio. Pergunte a qualquer membro academico ou mesmo do judiciario o que é justiça? Ele não saberá responder. POrque justiça é um artifício inventado por Platão para exercer domínio sobre o povo e extorquir-lhe sua produção, que é o que mais interessava.

Concordo com o convênio entre a Instituição de ...

Gugarns (Bacharel)

Concordo com o convênio entre a Instituição de Ensino e o Judiciário, porém com ressalvas. É corriqueiro o Juiz se utilizar da mão-de-obra estagiária não como um convênio, mas como um modo de "surrupiar" a verba destinada à assessoria. Ressalte-se que isto não é a regra. Ademais, regularmente se vê Juízes "concursados" que não fazem um único despacho de mero expediente, tal atribuição passa a ser do "escraviário". Lógico que estou tomando como paradigma o meu Estado. Não obstante isso, é de suma relevância a prática jurídica antes do ingresso no mercado de trabalho. De outro lado, o Poder Judiciário pararia caso não existissem os estagiários, visto a grande demanda de processos.

Excelente medida! Bom para os estagiários, bom ...

Magistrato (Outros)

Excelente medida! Bom para os estagiários, bom para o serviço judiciário.

Comentários encerrados em 25/07/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.