Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Na prática

Ministro Gilmar Mendes lança livro sobre uso da ADPF

O vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, lança no dia 16 de agosto o livro “Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental”. O lançamento acontecerá durante o Seminário Brasileiro sobre Advocacia Pública Federal — “O futuro da Advocacia-Geral da União”. A cerimônia está marcada para começar às 9h45, no Hotel Blue Tree Park.

No livro, o ministro defende a aplicabilidade da ADPF com mais freqüência para permitir que importantes questões constitucionais sejam solucionadas de forma rápida e eficaz. Para ele, “a argüição de descumprimento, que pode ser manejada para solver controvérsias sobre a constitucionalidade dos direitos federal, estadual e municipal, veio completar o sistema de controle de constitucionalidade de perfil relativamente concentrado no Supremo Tribunal Federal”.

Em 357 páginas, o ministro trata das peculiaridades existentes em torno da ADPF, que surgiu como alternativa ao instituto legal do Incidente de Constitucionalidade — idealizado em alguns projetos para solucionar a repetição de processos e a conseqüente demora no julgamento dos casos em que se questionava a constitucionalidade do ato, mas que não teve muita aplicabilidade.

Este trabalho é fruto de estudos conjuntos do ministro Gilmar Mendes com o constitucionalista Celso Ribeiro Bastos. A publicação é da Editora Saraiva e faz parte da Série “IDP”, do Instituto Brasiliense de Direito Público

A sessão de autógrafos acontecerá durante o coffee break do Seminário da AGU.

A regra

A ADPF foi instituída pela Lei 9.882/99 para evitar ou reparar lesão a qualquer norma fundamental resultante de ato do Poder Público e, também, para solucionar as controvérsias constitucionais que surgissem sobre lei ou ato normativo federal, estadual ou municipal, incluindo aqueles anteriores à promulgação da Constituição Federal de 1988.

Revista Consultor Jurídico, 9 de agosto de 2007, 16h21

Comentários de leitores

1 comentário

Obviamente, Gilmar Mendes é o jurista presente ...

ruialex (Advogado Autônomo - Administrativa)

Obviamente, Gilmar Mendes é o jurista presente no STF, juntamente com Eros Grau. Os demais que me perdoem, com o devido respeito. Pena que às vezes é incompreendido, como frequentemente acontece com as grandes inteligências. Mas certamente Gilmar sabe disso, sabe que é uma sumidade e que suscita muitas invejas, inclusive entre seus pares. Parabéns Ministro Gilmar Mendes, certamente adquirirei sua obra, pena que estou longe para lhe pedir um autógrafo. Atenciosamente.

Comentários encerrados em 17/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.