Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acima do teto

STF nega gratificação adicional por tempo de serviço a juízes

O Supremo Tribunal Federal indeferiu o pedido de liminar, feito por cinco juízes federais, para manter o direito de receber a gratificação adicional por tempo de serviço, extinta pela Resolução 13/06 do Conselho Nacional de Justiça. Trata-se da gratificação adicional de 5% a cada cinco anos de serviço, prevista no artigo 65, inciso VIII, da Lei Orgânica da Magistratura (LC 35/79).

A decisão é do ministro Eros Grau. Em seu voto, destacou que a jurisprudência do STF é firme quando diz inexistir ilegalidade quando uma vantagem é extinta ou absorvida por outra, desde que seja preservada a faixa salarial, sem sua redução.

Os advogados dos juízes pediam o deferimento da liminar e, no mérito, a inconstitucionalidade de trechos da Resolução 13/06 do CNJ. A extinção do benefício está prevista no artigo 4º, inciso III, alínea “a”, da Resolução 13, de 21 de março de 2006. No mandado de segurança, os juízes pediam para que a gratificação fosse paga até a edição da Lei 11.143, sancionada em 26 de julho de 2005. Essa lei instituiu o teto do funcionalismo público nos três Poderes, a partir do salário de ministro do STF.

“Contudo, no tocante aos qüinqüênios legitimamente incorporados até a Lei do Teto, forçoso contabilizá-los, até o limite legal (hoje, R$ 24,5 mil), sob a rubrica de Vantagem Pessoal Nominalmente Identificada, corrigindo-a a base do índice geral de reajuste, nos termos da disciplina da Lei 8.852/94, art. 5º, II”, afirma a defesa.

MS 26.056

Visite o blog Consultor Jurídico nas Eleições 2006.

Revista Consultor Jurídico, 7 de outubro de 2006, 7h00

Comentários de leitores

2 comentários

Concordo plenamente com a decisão. Junte-se a e...

Sílvio (Funcionário público)

Concordo plenamente com a decisão. Junte-se a eles os parlamentares, que também sob o escudo da independência dos poderes multiplicam seus subsídios, adicionando gratificações não tributáveis, enquanto que a grande massa do funcionalismo tem que sobreviver com esmolas do governo.

... fez bem o s.t.f. pois magistratura, não é j...

Robespierre (Outros)

... fez bem o s.t.f. pois magistratura, não é jogo de ganhar ou perder. é missão. todos quando fazem concursos sabem o que vão receber, ganhar, ou ter por sua magistratura. o resto é tentativa de levar vantagem. melhor seria seguirem na carreira de advogados, daí sim seria justo ganharem o "plus" . magistratura não é para qualquer um.

Comentários encerrados em 15/10/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.