Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Diretas já

Entidades pedem eleição direta para Órgão Especial do TJ do Rio

O ministro Joaquim Barbosa foi escolhido relator do Mandado de Segurança coletivo que a Associação dos Magistrados Brasileiros e um grupo de juízes fluminenses impetraram na quarta-feira (22/2), no Supremo Tribunal Federal, em Brasília, contra decisão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio.

O processo é porque o TJ não realizou a eleição da metade de seus integrantes, conforme determina a Emenda Constitucional 45/04. O problema, aliás que se verifica em outros Estados, tem gerado muito debate entre desembargadores no estado do Rio. Dos 160 membros da ativa, 122 pediram formalmente ao presidente do TJ-RJ, Sergio Cavalieri, que promova a eleição de metade do órgão especial.

Diante do pedido, o número um do tribunal submeteu o assunto ao próprio Órgão Especial. Resultado, o pleito não encontrou eco. "É um contra-senso imaginar que um órgão delegatário (Órgão Especial) possa decidir em lugar do delegante (Tribunal Pleno). Temos aí um problema de ordem formal" desabafou Cláudio dell´Orto, presidente da Amaerj — Associação dos Magistrados do Estado do Rio.

A bandeira foi deflagrada inicialmente pela AMB, por ocasião da reforma do Judiciário. A entidade considera o mandado apenas uma etapa de sua luta Isso porque lançará mão de todos os recursos legais para que sejam feitas eleições diretas para as administrações dos TJs do país.

"Estamos lutando para tornar a Justiça mais democrática, transparente, ágil e efetiva" afirmou o desembargador carioca Luis Felipe Salomão, diretor da Escola Nacional de Magistratura, que protocolou o processo no STF tendo ao lado outros colegas como Marco Aurélio Belizze e Dell´Orto.


Revista Consultor Jurídico, 24 de fevereiro de 2006, 7h00

Comentários de leitores

2 comentários

Agora chegou a hora de alguém coragem de propor...

No País do Faz de Conta (Outro)

Agora chegou a hora de alguém coragem de propor EC para que os principais cargos nos tribunais e o órgão especial seja escolhido por eleição direta entre os juízes vitalícios vinculados ao respectivo tribunal. O FIM DO QUINTO CONSTITUCIONAL É A PRÓXIMA SAFADEZA A SER LANÇADA POR TERRA NOS TRIBUNAIS, POIS AGORA TEMOS O CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, O QUE IMPEDE A JUSTIFICATIVA PARA INGRESSO, SEM CONCURSO, DE ADVOGADOS E MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO NOS TRIBUNAIS!

A EC 45-04 ainda não atendeu aos anseios dos br...

No País do Faz de Conta (Outro)

A EC 45-04 ainda não atendeu aos anseios dos brasileiros, notadamente os ligados à área jurídica, pois o órgão especial dos Tribunais e os cargos principais deveriam ser escolhidos por todos os juízes vinculados ao Tribunal.

Comentários encerrados em 04/03/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.