Consultor Jurídico

Ao trabalho

OAB paranaense quer agilizar atendimento em cartório judicial

A OAB do Paraná e a subseção de Curitiba estão lançando uma campanha pela melhoria no atendimento dos cartórios judiciais. Na primeira fase, as entidades convocarão os advogados para responder um questionário a respeito dos serviços prestados nos cartórios.

Esta primeira etapa de pesquisa de opinião se estenderá até o dia 15 de junho, com o material disponível nos sites da OAB Curitiba, da da OAB Paraná ou no Fórum Cível, com representantes da Ordem.

O objetivo da ação inicial da campanha é avaliar como os serviços dos cartórios são prestados e apontar as principais queixas dos advogados. Com as respostas tabuladas, representantes da Ordem irão apresentar as estatísticas e as conclusões do questionário ao Tribunal de Justiça para que sejam tomadas as necessárias providências.

Facilitar o acesso dos advogados aos cartórios, tornar os serviços mais eficientes e padronizar o atendimento aos cidadãos são alguns dos pontos de destaque da mobilização. “A entrega da prestação jurisdicional não pode ser dificultada pelos órgãos de apoio do Poder Judiciário, sendo que a melhora do serviço prestado por essas serventias será um alento tanto para os advogados, como para toda a sociedade”, afirmar Manoel Antônio de Oliveira Franco, presidente da OAB paranaense.

A proposta

A campanha pela melhoria no atendimento dos cartórios judiciais é um movimento de advogados que se confrontam diariamente com as dificuldades enfrentadas nos cartórios. “A idéia surgiu das diversas reclamações que são apresentadas pelos profissionais. Com isso, chegou o momento de se enfrentar os problemas existentes para que se possa viabilizar a adoção de medidas efetivas que melhorem o serviço atualmente prestado por tais cartórios judiciais”, explica Ricardo Lucas Calderón, secretário geral da subseção da OAB Curitiba.

Para que esta campanha obtenha os dados necessários e cumpra os objetivos traçados, a OAB do Paraná convoca os advogados de Curitiba — 14 mil profissionais cadastrados na Ordem — a participar e responder o questionário. Desta forma, reivindicações antigas dos profissionais da advocacia poderão ser levadas em consideração e medidas efetivas implementadas.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 3 de junho de 2005, 16h44

Comentários de leitores

2 comentários

Muito oportuno o breve comentário do leitor Car...

Dalben (Advogado Autônomo)

Muito oportuno o breve comentário do leitor Carlos. Tanto a OAB como a AASP, agem como se tudo estivesse ocorrendo na mais completa normalidade, dando maior ênfase a assuntos que em nada ajudam no cotidiano do advogado. Está se tornando cada vez mais difícl dar explicações aos clientes acerca da morosidade do judiciário e do pouco caso que os juizes vêm fazendo acerca do assunto. Ao judiciário parece que está bom assim (a politica do quanto pior, melhor), a OAB e a AASP dando atenção maior a encontros sociais (nao profissionais); juizes que gastam uma fortuna dizendo que vão discutir o problema da justiça em locais que servem unicamente para lazer e distante da origem do problema. Acredito que valeria a pena marcarmos alguns atos públicos em protesto. Nada de exaltaçoões individuais; simplistas e com fins unicamente eleitoreiros.

A OAB de SP poderia seguir o exemplo. O difíci...

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

A OAB de SP poderia seguir o exemplo. O difícil vai ser convencer o Judiciário a mudar este absurdo.

Comentários encerrados em 11/06/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.