Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Via satélite

Ajufe firma convênio com Ielf para cursos de pós à distância

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) assinou, na quarta-feira (3/3), um convênio com o Instituto de Estudos Jurídicos Luiz Flávio Gomes (Ielf) para facilitar a seus mais de 1.200 associados, em todo país, o acesso aos cursos de pós-graduação latu sensu do Instituto. A idéia é que os cursos possam ser feitos à distância com aulas transmitidas ao vivo, via satélite, a partir de São Paulo para mais de 300 unidades em todo o Brasil.

O convênio será viabilizado em parceria com a Fundação Universidade do Sul de Santa Catarina -- Unisul. O convênio Ajufe/Ielf prevê um desconto de 30% na mensalidade para os associados e será iniciado já em março, com cursos de pós-graduação em três áreas de interesse dos juízes federais:

1. Novo Direito Civil - coordenado pela professora Giselda Maria Fernandes Novaes Hironaka;

2. Interesses Difusos e Coletivos - coordenado pelas professoras Ada Pellegrini Grinover e Mariângela Sarrubbo Fragata;

3. Ciências Criminais - sob a coordenação do próprio Luiz Flávio Gomes e da professora Alice Bianchini.

O vice-presidente da Ajufe na 3ª Região, juiz Luciano de Souza Godoy, foi o signatário do convênio, que teve como testemunha o ministro da Educação de Moçambique, Alcido Eduardo Nguenha, em visita o Ielf no momento.

Para os juízes interessados nos cursos de pós-graduação, a Ajufe e o Ielf prepararam uma sessão inaugural no dia13 de março, com divulgação e detalhamento do conteúdo, exposição dos coordenadores sobre cada área envolvida e, ainda, três conferências. A primeira, a cargo de Ada Pellegrini, será sobre "Significação social e política da tutela dos interesses difusos"; a segunda, abordando o "Código Civil brasileiro: novos princípios, novo direito, novos juízes", ficará a cargo de Giselda Maria Fernandes Novaes Hironaka; e, na terceira palestra, o professor Luiz Flávio Gomes faz uma análise comparativa - "De Von Liszt a Roxin - nova síntese da teoria do delito: teoria constitucionalista". Outras informações podem ser obtidas no site www.ielf.com.br. (Ajufe)

Revista Consultor Jurídico, 5 de março de 2004, 11h54

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 13/03/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.