Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Violência urbana

Ministro do Supremo Tribunal Federal é assaltado em SP

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, foi assaltado nesta segunda-feira (16/2), na Avenida Rubem Berta, em São Paulo. Ele teve o relógio roubado por um motoqueiro que abordou o veículo em que estava.

O ministro estava na companhia de um advogado, além do motorista que dirigia o carro. Eles estavam a caminho do campus da FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas, onde o ministro tinha uma palestra agendada).

"Este assalto demonstra claramente o clima de insegurança que todos estão vivendo no País", disse Marco Aurélio. O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Roberto Busato, tomou conhecimento do ocorrido e considerou o episódio "lamentável". (OAB)

Revista Consultor Jurídico, 16 de fevereiro de 2004, 15h48

Comentários de leitores

5 comentários

Bom Ministro, Bem vindo a SP. Espero que isso...

Daniel ()

Bom Ministro, Bem vindo a SP. Espero que isso ilumie a sua cabeça para saber julgar a ADIN proposta contra o Estauto do Desarmamento. Bandido não compra arma em lojs - anda - e sempre vai andar armado (ao arrepio da lei). Proibir o homem honesto de possuir / portar armas não vai melhorar em nada a violência. Mas pelo contrário: os bandidos vão comemorar, ninguém honesto terá arma de fogo!

O maior perigo disto tudo, está na inversão de ...

Ido Kaltner (Advogado Assalariado)

O maior perigo disto tudo, está na inversão de valores, hoje bandidos, amanhã, revolucionários. Se mata 1, é assassino, se mata milhões, é um conquistador!

O Movimento Viva Rio, aparentemnete, deseja a p...

Octavio Motta (Advogado Autônomo)

O Movimento Viva Rio, aparentemnete, deseja a paz como os franceses em 1940: cooperação e rendição. Acham que se voce não reagir, der tudo, tirara a policia da rua e desarmar o cidadão, que os bandidos vão ficar menos violentos pois tem sua vida faciltiada.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 24/02/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.