Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Alívio no bolso

Escritório de Taubaté está livre de recolher ISS, decide juiz.

Por 

A sociedade de advogados Moreira Pinto Advogados Associados não precisa recolher ISS sobre percentual de seu faturamento bruto. O entendimento é do juiz Jorge Alberto Passos Rodrigues, da 1ª Vara Cível de Taubaté (SP). Ainda cabe recurso.

A cobrança é exigida pela prefeitura de Taubaté. De acordo com o decreto do município, todas as sociedades de profissionais liberais, que prestam serviços diretamente aos clientes, por intermédio de seus sócios, devem recolher anualmente um valor fixo a título de Imposto Sobre Serviço.

A sociedade de advogados questionou a exigência e obteve liminar favorável. Segundo o juiz, estão "presentes os requisitos de medida liminar, sendo possível a fungibilidade aqui reconhecida, ante permissivo legal, porque relevantes os argumentos deduzidos pela autora, subtraindo-a dos efeitos do diploma legal municipal, no que toca à hipótese de incidência tributária prevista na lei referida".

O juiz, no entanto, "para assegurar também os interesses da Fazenda Municipal", em caso de eventual reversão de entendimento, determinou que a sociedade de advogados deposite judicialmente as "quantias correspondentes ao tributo em questão, até final julgamento, inclusive daquelas prestações que se venceram no curso da ação".

Feito nº 141/03

 é repórter da Revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 16 de fevereiro de 2004, 19h56

Comentários de leitores

1 comentário

Não só a sentença deveria ser colocada, a inici...

Jorge David de Paiva ()

Não só a sentença deveria ser colocada, a inicial e as alegações da Prefeitura também, sem cortes, sem resumo. O comentário da jornalista é positivo, sempre se tira algo de bom, quando se tem mais informações.

Comentários encerrados em 24/02/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.