Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Primeira Leitura

'É insustentável posição dos presidentes do Banco Central e do BB'

Meirelles na mira

Uma nova denúncia contra o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, abalou os meios políticos e os mercados ontem. A CPI do Banestado descobriu uma conta de Meirelles nos Estados Unidos, não declarada à Receita, e uma transferência de US$ 50.677, feita no dia 18 de outubro de 2002, logo depois que se elegeu deputado federal, para uma conta titulada por doleiros nos Estados Unidos.

O caso

O documento em posse da CPI mostraria que o dinheiro migrou da conta do presidente do BC para outra conta, de número 030102375, que pertence a offshore Biscay Trading Ltd. Ocorre que a CPI tem em mãos um relatório segundo o qual Biscay Trading é de um grupo de doleiros de São Paulo que está sob investigação por lavagem de dinheiro. Ou seja, a suspeita é a de que o dinheiro tenha sido remetido para o Brasil de forma ilegal.

A omissão

Na declaração do Imposto de Renda que Meirelles entregou à Receita Federal, em abril do ano passado, havia cinco contas declaradas, uma só no exterior, no FleetBoston Bank — nenhuma menção a esta que a CPI descobriu, que seria no Goldman Sachs.

A divulgação

As informações foram primeiramente publicadas na edição online da revista Veja. A revista IstoÉ também teve acesso ao material da CPI. Depois da notícia, os ativos do mercado financeiro tiveram piora substancial. A Bolsa de São Paulo registrou o maior tombo desde maio, com queda de 3,82%. O dólar teve alta de 0,52%. Nesta sexta, operadores esperam nova rodada de pessimismo.

A defesa

A assessoria de imprensa do Banco Central divulgou nota sobre o caso. O texto afirma que todos os rendimentos de Meirelles nos EUA têm origem conhecida e foram tributados naquele país. E que todos os rendimentos recebidos depois do retorno definitivo do presidente do BC ao Brasil foram tributados pelo Fisco brasileiro, de acordo com a legislação. Afirma ainda que, nos EUA, é comum a realização de pagamentos por meio do envio de recursos para uma conta bancária indicada pelo recebedor, no caso, de uma empresa que Meirelles não conheceria. Por fim, assegura que a referida conta foi ativada em 23 de agosto de 2002 e desativada em 3 de dezembro daquele ano, o que o desobrigaria de declará-la, conforme a lei.

Quem é Antero – 1

A figura que vem tirando o sono da República do PT, por presidir a CPI do Banestado, parece um detetive saído de um filme B: com o cabelo sempre desalinhado, ternos um tamanho acima do ideal, tênis nos pés em vez de sapatos sociais, olheiras enormes e uma briga infindável com a balança. O mato-grossense Antero Paes de Barros (PSDB-MT), 51 anos, exerce o primeiro mandato como senador e esteve ligado a todos os casos ruidosos do governo Lula.

Quem é Antero – 2

Como presidente da CPI do Banestado, opera um esquema de vazamentos controlados de informações – embora negue estar por trás das denúncias contra as autoridades monetárias – que municia a imprensa e preocupa o Planalto. Foi, ainda, o responsável pela divulgação do vídeo em que Waldomiro Diniz aparecia cobrando propina do bicheiro Carlos Cachoeira. Ironia maior: Antero já foi filiado ao PT, na época em que era deputado constituinte. A fase durou pouco: irritado com a burocracia do partido, foi para o PDT e, de lá, para o PSDB.

Assim falou... Professor Luizinho

“É uma atitude organizada, orquestrada. Estão namorando com o perigo. É muita irresponsabilidade.”

Do líder do governo na Câmara, atribuindo denúncias contra o presidente do Banco Central ao PSDB, que tem o senador Antero Paes de Barros na presidência da CPI do Banestado.

Insustentável

A posição dos presidentes do Banco Central e do Banco do Brasil, Henrique Meirelles e Cássio Casseb, respectivamente, é insustentável. Devem poupar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pedir demissão a bem do próprio governo. É impossível que ambos ocupem o cargo que ocupam tendo de, a cada dia, dar explicações novas sobre casos sempre mais nebulosos que levaram de sua vida privada para o cargo que ocupam na vida pública — no caso de Casseb, há ainda a lambança com a compra de ingressos para o show do PT. As Bolsas derreteram nesta quinta.

O dólar subiu. É a incerteza do que virá somada à certeza de que algo virá que põe o país nessa gangorra. Como se viu na demissão de Luiz Augusto Candiota e no convite feito a Rodrigo Azevedo para assumir a diretoria de Política Monetária, o que os tais mercados esperam é a continuidade da política econômica. A ser verdade que o governo está mesmo preocupado com a estabilidade e o crescimento, que não crie dificuldades novas para si mesmo.”

* A coluna é produzida pelo site Primeira Leitura – www.primeiraleitura.com.br

Revista Consultor Jurídico, 6 de agosto de 2004, 11h32

Comentários de leitores

4 comentários

Concordo com a opinião do sr. Gilberto Ap. Amér...

Rogener Donizeti Spessoto ()

Concordo com a opinião do sr. Gilberto Ap. Américo e ainda diria mais: ao contrário de outras pessoas que já ocuparam cargos públicos de grande influência sobre o governo e que também foram vítimas destes tipos de denúncias, estes senhores estão se demonstrando ótimos profissionais nos cargos que ocupam. Exemplo disso é o trabalho desenvolvido pelo sr. Cássio Casseb, que tirou o BB de uma dívida enorme e está transformando-o em um dos maiores bancos do país, tratando-o como uma empresa igual a qualquer outra e não apenas como um simples órgão do governo (como são tratados a maioria deles), além de investir em uma política de recursos humanos para mais de 80.000 colaboradores, tornando seus profissionais pessoas competentes e amantes do seu trabalho. Quanto ao sr. Meirelles, está ocupando um cargo à sua altura e com bons resultados, depois de ter presidido um dos maiores e bem sucedidos bancos do mundo! Com base nisso, devemos analisar o que estes senhores estão fazendo para melhorar a nossa sociedade, ao invés de levarmos em consideração denúncias até então inconsistentes. Rogener D. Spessoto Téc. de Segurança do Trabalho

As atitudes do Presidente Lula, bem como do PT,...

Carlos Alberto Alves (Professor)

As atitudes do Presidente Lula, bem como do PT, quanto aos fatos acima é, no mínimo, falta de coerência entre o discurso e prática. a) Carlos Alberto Alves

Perdõem-me os discordantes, mas esse tipo de im...

Gilberto Aparecido Americo (Advogado Autônomo - Criminal)

Perdõem-me os discordantes, mas esse tipo de imputação é pura hipocrisia. Pouquíssimas pessoas vinculadas ao poder central resistem a uma investigação superficial, mesmo que executada por atrapalhados espiões importados. Muito mais sério é o currículo do sr. Meireles, empregado de grandes bancos internacionais e eleito deputado pelo PSDB, partido em tese visceralmente contrário ao PT. Somente estes dados seriam bastante para deixá-lo prestar serviços aos seus eleitores, mantendo-o no cargo obtido à custa de quase um milhão de dólares, segundo a imprensa tem noticiado. Todavia, o PT da pratica não é o mesmo da dialética. Não diria que está acovardado. Acho que é movido por interesses outros, os quais, dada a minha ignorância, desconheço, mas está pelo menos encantado pelo sirênico canto do "mercado". Gilberto Aparecido Américo advogado

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 14/08/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.