Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ação e reação

OAB repudia inspeção dos Estados Unidos ao urânio brasileiro

Os Estados Unidos não podem tratar o Brasil como tratam seus adversários e a decisão do governo de não permitir a inspeção norte-americana às tecnologias desenvolvidas internamente para o enriquecimento de urânio é acertada. Essa é a opinião do presidente da OAB, Roberto Busato. "Não temos tradição bélica e não podemos ser tratados como inimigos", afirmou.

Segundo ele, o princípio da soberania deve ser preservado a todo custo pelo Brasil. “Não vemos nenhuma indicação na comunidade internacional de que o nosso país esteja fazendo mau uso da tecnologia envolvendo a utilização de urânio enriquecido.” Par ele, os EUA não podem tratar países de vocação pacífica como tratam seus potenciais inimigos que “estão localizados em regiões de tensão e possuem tradição bélica nesse sentido”.

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, tem deixado clara a posição do governo brasileiro que, no entender da OAB, está correta. (OAB)

Revista Consultor Jurídico, 7 de abril de 2004, 18h04

Comentários de leitores

3 comentários

Ao estudarmos a história, podemos relembrar mui...

Diego Levi da Silva ()

Ao estudarmos a história, podemos relembrar muito bem as conquistas do Império Romano. Conquistas essas, que derramaram muito sangue, acabando com algumas culturas sedimentadas. Não podemos negar nossa gratidão aos Romanos, graças ao seu conhecimentos jurídicos e democráticos. Mas o Império Romano acabou e com ele suas barbaridades. Talvez, não tenhamos percebido que o Império Romano está renascendo. Renascendo com a ganância e arrogância que os americanos tem, de querer dominar o Mundo e de pensar que tudo que existe de valioso neste planeta lhes pertence. Diego Levi da Silva Advogado

Nossas autoridades não têm admitido as infundad...

Ivan (Advogado Autônomo)

Nossas autoridades não têm admitido as infundadas suspeitas quanto ao uso indevido do urânio no Brasil. Isto é bom. Apenas lamento que estas mesmas autoridades não sejam mais contundentes em suas declarações (digo "contundente", e não "agressivo" - fique claro). Por que não responder, v.g., que "O Brasil não é um país belicoso, ao contrário dos norte-americanos". Isso é "agressivo" demais? Creio que não menos do que nos aconselhar (como fez George W. Bush) a acatarmos as investidas, DIGO, investigações da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) -- declaração que nos acusa despudoradamente de algo que nunca fizemos!!! Creio, enfim, que o excesso de mesuras no trato destas questões já é, por si só, apoucar nossa soberania e firmeza na condução de questões internacionais. Apenas lembrando: FRACO NÃO É SOMENTE AQUELE QUE NÃO PROTESTA. É TAMBÉM AQUELE QUE O FAZ DE FORMA ACANHADA OU INFERIOR ÀS INVESTIDAS.

Os EUA estão querendo dominar o mundo, tentando...

Eliseu Gomes de Oliveira ()

Os EUA estão querendo dominar o mundo, tentando tirar de outros paises suas maiores riquezas. Se ja não bastasse dar a 'disculpa' que o Iraque estava produzindo armas químicas para então tomar posse do seu petróleo, agora está tentando arrumar uma, para tentar tirar nossas riquezas. Estou de pleno acordo com a posição tomada tanto por Busato, quanto pelo itamarati

Comentários encerrados em 15/04/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.