Consultor Jurídico

Artigos

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Quero Papai

O descaso da Petrobras em fornecer o Laudo do SB40 para seus funcionár

Por 

QUERO PAPAI !

Hoje, após a aprovação da reforma da previdência, não existe um único trabalhador que deixe de contar seu tempo de serviço. As perguntas se sucedem: quanto falta?, você já tem tempo ?, trinta ou trinta e cinco anos ?. São essas as perguntas que mais se ouviu nas rodas informais entre amigos de trabalho nas mais diversas categorias profissionais.

Acontece que tem alguém sendo esquecido. Sendo esquecido não, sempre foi esquecido. São os marítimos da PETROBRÁS, mais precisamente da FRONAPE. Sempre esquecidos. Pois quando que saiam de suas casas para singrar os mares de todo o mundo, deixando de lado a família, por salários nada compensadores, levando e trazendo petróleo para o conforto de uma nação que hoje os esquece.

A vida no mar , ao contrário do que muitos pensam, não é feita de sabores. E ai vão perguntar: vocês não viajam e conhecem o mundo ?. Não é bem assim, no pouco tempo que um petroleiro passa no porto, cumpre-se rigorosa escala de trabalho, e esses portos muitas vezes não são em capitais, geralmente encravados nos mais distantes sítios do planeta terra. Além do que a missão é o transporte de petróleo, e não o turismo remunerado. Mais o que tem a ver tudo isso com um direito já adquirido ?

Voltando ao tema fim desta, tenho a dizer que a FRONAPE, vem criteriosamente esquivando-se de fornecer documentos necessários para a aposentadoria daqueles que tanto, e de forma tão diversa das outras classes trabalhadores, contribuíram, para que esta empresa conquistasse títulos internacionalmente reconhecidos e pela mesma ostentados.

Quando nasci, papai estava no Golfo Pérsico, meu primeiro aniversário papai estava viajando de Singapura para São Sebastião, minha primeira formatura, papai estava também em viagem e não pode vir. Tantas outras foram datas para que julgava importantes que não tive a presença de meu pai. E mamãe dizia papai está trabalhando. Hoje eu digo aos Srs. Nossos “papais” já cumpram suas jornadas, seus deveres. Com uma ficha limpa e laureada, papai espera que esta empresa, da qual até eu aprendi sentir orgulho, forneça um documento que tem o nome esquisito de SB40. Espero que papai esteja aqui quando eu for fazer o vestibular, será uma força sabe moço.

Ass. Jovem, 14 anos filho da solidão paterna.

 Filho de maritimo da Petrobras.

Revista Consultor Jurídico, 19 de dezembro de 1998, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 27/12/1998.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.