Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Motivação desconhecida

Diretor da OAB de São Gonçalo (RJ) é morto a tiros dentro de casa com a família

O diretor de eventos da subseção de São Gonçalo (RJ) da Ordem dos Advogados do Brasil, Wagner da Silva Salgado, de 42 anos, foi assassinado a tiros na madrugada desta sexta-feira (17/2) dentro de casa. Também foram mortas sua mulher, Soraya Gonçalves de Resende, 37, e a filha do casal, Geovanna Resende Salgado, de 10 anos.

A casa não foi arrombada e ainda não há suspeitas para a motivação do crime. Salgado era advogado na área cível e nunca se envolveu com casos criminais, segmento com mais potencial para gerar rancores e vinganças.

“Ele trabalhava há um ano como diretor de eventos da OAB São Gonçalo. Ele era advogado cível, nunca quis entrar em criminal. Não era o que ele gostava de fazer. A gente não tem nem pista do que pode ter acontecido aqui. Ele era filho único, então também não acreditamos que seja alguma coisa envolvendo parentes”, disse o presidente da OAB São Gonçalo, Eliano Enzo, em entrevista ao jornal Extra.

A OAB-RJ divulgou uma nota de pesar pela morte do diretor assinada pelo presidente da instituição, Felipe Santa Cruz. “É com imenso pesar que a diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro (OAB/RJ), comunica o falecimento do diretor de Eventos da OAB/São Gonçalo, Wagner da Silva Salgado, de sua esposa, Soraia, e da filha, Geovanna, após ato de extrema violência que ocorreu dentro da casa da família, na madrugada desta sexta-feira, dia 17. A presidência da OAB/RJ já entrou em contato com a Secretaria Estadual de Segurança para exigir rapidez na investigação do bárbaro crime. A Seccional se solidariza com a advocacia local na pessoa de seu presidente Eliano Enzo e oferece todo o apoio neste momento de grande tristeza e revolta”, diz a nota.

Revista Consultor Jurídico, 17 de fevereiro de 2017, 18h19

Comentários de leitores

4 comentários

Advocacia

Luis Feitosa (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

Advogar, definitivamente uma atividade de risco!!!

Rebeldes primitivos

O IDEÓLOGO (Outros)

Com a Constituição de 1988 foram enaltecidos os direitos em detrimento das obrigações.
Os "rebeldes primitivos", expressão emprestada do historiador marxista Erick Hobsbawm e adaptada ao contexto brasileiro, sufragados por intelectuais que abraçaram o pensamento do italiano "Luigi Ferrajoli, expresso na obra "Direito e Razão", passaram a atuar em "terrae brasilis" em agressão à ordem estabelecida, ofendendo os membros da comunidade.
Aqueles despossuídos de prata, ouro, títulos e educação especial, agredidos pelos rebeldes, passaram a preconizar a aplicação draconiana das normas penais, com sustentação no pensamento do germânico Gunther Jabobs, resumido no livro "Direito Penal do Inimigo". Acrescente-se, ainda, a aplicação das Teorias Econômicas Neoliberais no Brasil, sem qualquer meditação crítica, formando uma massa instável e violenta de perdedores, fato previsto pelo economista norte-americano, Edward Luttwak no livro denominado "Turbocapitalismo".
Diante desse "inferno social" o Estado punitivo se enfraqueceu. A situação atingiu nível tão elevado de instabilidade, que obrigou o STF em sua missão de interpretação da Constituição e de pacificação social, lançar às masmorras, de forma mais expedita, os criminosos. Diante do atrito entre o pensamento do intelectual, preocupado com questões abstratas, e a dura realidade enfrentada pelo povo, principal vítima dos rebeldes, a Democracia soçobra.

Punitivismo

Ribas do Rio Pardo (Delegado de Polícia Estadual)

Valmir era um jovem advogado com um futuro promissor pela frente. A pedido acompanhou o cliente até o Paraguai, depois o trouxe de volta, no caminho discutiram. Assim que pode o cliente o assassinou com vários golpes de faca e não assassinou a sogra porque estou fingiu . O tal cliente matara a
mulher em 2013, gora solto porque a gravidade em abstrato do delito não justifica a reclusão. Em 2015 foi preso novamente, agora na atividade fim tráfico internacional de haxixe, mas foi solto, porque a prima facie não se vislumbrou vínculo com organizações criminosas, agora assassinou um jovem de 35 anos de nós família e Boa conduta. Viva o crime. Viva o Brasil.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/02/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.