Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ambiente modesto

Joaquim Barbosa aluga espaço de escritório para abrir própria banca

Um ano e meio depois de retomar sua inscrição como advogado, o ministro aposentado Joaquim Barbosa virou inquilino de um escritório em São Paulo, com interesse em atuar nas áreas penal, tributária, empresarial, constitucional, administrativa e de mediação e arbitragem.

Na fachada, não há nenhuma identificação do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal: o letreiro indica o Balducci & Hofling Sociedade de Advogados, que funciona há três anos no Jardim Paulista e apenas aluga um espaço a Barbosa, sem parceria nos negócios. A informação foi publicada neste domingo (29/5) pelo jornal Folha de S.Paulo.

Barbosa escalou ex-auxiliares do STF e atua por enquanto com pareceres.
Gil Ferreira/SCO/STF 

O ministro aposentado conta com a ajuda de dois de seus auxiliares da época do STF: Cesar Janoti e Thiago Sorrentino. Segundo a Folha, a assessoria do escritório diz que o foco está em pareceres jurídicos, apesar de Barbosa só estar impedido de atuar no contencioso perante o STF, até agosto de 2017. Os clientes não foram divulgados.

O aspecto modesto e a falta de nomes de peso entre os parceiros já têm chamado atenção de membros do mundo jurídico ouvidos pela revista Consultor Jurídico. A situação pode ser relacionada a atritos de Barbosa com advogados enquanto presidiu o Supremo.

Um dos episódios ocorreu em junho de 2014, numa das últimas sessões como presidente da corte, quando Barbosa expulsou da tribuna o advogado Luiz Fernando Pacheco. Defensor do ex-presidente do PT José Genoino, Pacheco havia subido o tom para reclamar da demora do relator da Ação Penal 470 em pautar a análise de pedido para que o seu cliente conseguisse prisão domiciliar. O ministro mandou que seguranças o afastassem da tribuna.

Quando quis advogar, a seccional da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal chegou a analisar pedido para impedir seu registro profissional. Mas a inscrição acabou concedida.

* Texto atualizado às 12h30 do dia 29/5/2016.

Revista Consultor Jurídico, 29 de maio de 2016, 10h52

Comentários de leitores

4 comentários

A pergunta que não quer calar!

mfontam (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa)

Qual seria o efeito de um parecer assinado por Sua Excelência perante os magistrados com quem Sua Excelência polemizava constantemente e saiu com muita rejeição tanto de advogados quanto de magistrados? Em todo caso, boa sorte nobre Ministro na nova carreira da advocacia.

OAB

O IDEÓLOGO (Outros)

O Ministro Joaquim Barbosa honrará a OAB e permitirá o resgate da ética da grei.

Não entendi...

Carlos Quadros (Funcionário público)

O Doutor Joaquim Barbosa criticava tanto advogados que se dedicavam à elaboração de pareceres... Mudou de idéia? Agora um parecer jurídico não serve somente para que o advogado "ganhe dinheiro fácil"? Que mudança de postura ,hein! Espero que os nossos julgadores aceitem e leiam os pareceres do Dr. Barbosa. Não seria legal revanchismo nesse momento, né. ..? Sem mais!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 06/06/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.