Consultor Jurídico

Notícias

Boas-vindas

Membros do MP apoiam escolha de novo ministro da Justiça e elogiam Cardozo

Três entidades que representam integrantes do Ministério Público elogiaram a escolha do procurador de Justiça Wellington César Lima e Silva para comandar o Ministério da Justiça. Para as associações nacionais dos procuradores da República (ANPR), dos membros do Ministério Público (Conamp) e dos procuradores do Trabalho (ANPT), a experiência de Silva como procurador-geral de Justiça da Bahia permitirá que ele atue com competência e equilíbrio.

As entidades também avaliaram como positiva a gestão de José Eduardo Cardozo no ministério, pelo “mais alto nível de diálogo com o Ministério Público”. Ele assumirá agora a Advocacia-Geral da União. A nota ainda felicita Luiz Navarro de Brito, que vai ocupar o cargo de ministro-chefe da Controladoria-Geral da União.

Já a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal diz que a categoria recebeu “com extrema preocupação a notícia da iminente saída do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em razões de pressões políticas para que controle os trabalhos da Polícia Federal”. 

Leia a íntegra da nota:

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp) e a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) vêm a público saudar o procurador de Justiça Wellington César Lima e Silva, escolhido para substituir o ministro José Eduardo Cardozo no Ministério da Justiça.

A experiência de Wellington César Lima e Silva como membro do Ministério Público brasileiro, como Procurador-Geral de Justiça no Estado da Bahia e como homem público demonstram a competência e o equilíbrio com que ele conduzirá as atividades complexas – e compatíveis com as funções constitucionais do Parquet – inerentes ao Ministério da Justiça. O procurador de Justiça Wellington Lima e Silva tem a confiança, o testemunho e a certeza de seus pares do Ministério Público Brasileiro de que cumprirá suas atribuições dentro dos mais elevados padrões, engrandecendo a República a que todos servimos.

Do mesmo modo, as entidades de classe nacionais do MP desejam sucesso ao ministro Cardozo ao assumir a vaga de Advogado-Geral da União. De forma sensata e republicana, o ministro Cardozo conduziu o Ministério da Justiça mantendo, invariavelmente, o mais alto nível de diálogo com o Ministério Público. A Luís Inácio Adams, que deixa a AGU, as associações fazem votos de êxito em sua carreira na área privada.

As associações felicitam, também, Luiz Navarro de Brito, que passa a ocupar o cargo de ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU), e expressam reconhecimento ao ministro-interino da CGU, Carlos Higino, que deixa o posto.

José Robalinho Cavalcanti
Presidente da ANPR

Norma Angélica R. C. Cavalcanti
Presidente da Conamp

Carlos Eduardo de A. Lima
Presidente da ANPT

Revista Consultor Jurídico, 29 de fevereiro de 2016, 22h00

Comentários de leitores

2 comentários

Disse tudo...

JUNIOR - CONSULTOR NEGÓCIOS (Professor)

Depois do comentário do colega Lex Penalis não há complementar, mas talvez a nota dessas associações reflete outro ataque ao erário que precisará da articulação do futuro ministro, para legitimar o ataque ao contribuinte por meio de algumas mais gratificações e auxílios.

Hipocrisia

Lex Penalis (Auditor Fiscal)

Saudar uma manipulação política para frear a Polícia Federal?
Elogiar a indicação de um político para chefiar a AGU, ignorando a democrática lista tríplice que havia sido feita?
Pimenta nos olhos dos outros é refresco, não é mesmo, Ministério Público?
Infelizmente não causa espanto uma manifestação como essa, oriunda de um órgão que chancela imoralidades como o auxílio-moradia e dá pedalada sobre o teto remuneratório.

Comentários encerrados em 08/03/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.