Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Contra o congestionamento

Evento do Conselho da Justiça Federal votará enunciados para reduzir litígios

Nesta terça-feira (23/8), 227 enunciados serão levados ao plenário da I Jornada sobre Prevenção e Solução Extrajudicial de Litígios, promovida no Conselho da Justiça Federal, em Brasília. O evento reúne juristas, magistrados e advogados debaterão a importância dos meios extrajudiciais de resolução de conflitos no aumento da celeridade e da transparência do Judiciário.

Depois de aprovadas, as propostas serão publicadas e divulgadas pelo Centro de Estudos Judiciários (CEJ) do CJF.

Para o coordenador do evento, ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça, os 100 milhões de processos que tramitam atualmente no Judiciário brasileiro têm como origem, em parte, a ampliação do acesso ao Judiciário, conferida pela Constituição Federal de 1988.

Segundo o ministro, essa ampliação resultou em um “crescimento exponencial” de demandas. “A mediação extrajudicial permite a pacificação social e a desobstrução do Judiciário”, afirmou o ministro, apontando a conciliação como saída para esse congestionamento processual, pois estimula entendimento entre as partes e previne novas controvérsias. Com informações da Assessoria de Imprensa do STJ.

Revista Consultor Jurídico, 22 de agosto de 2016, 20h43

Comentários de leitores

3 comentários

Iludido - Advogado autônomo

Iludido (Advogado Autônomo - Civil)

PARTE II
Em concurso trabalhista realizado, estava um contador, um advogado e um operador das provas. (Juiz Trabalho) O contador coitado, inocente e infeliz, disse ao Juiz:" os fiscais do trabalho deveriam multar as empresas para que elas não errassem mais com os empregados". O advogado disse: E o que sobra para mim! O Juiz disse que então este, não deveria fazer concurso para Juiz. Desse jeito, ficou assim a coisa. O que é bom para mim não pode ser para v. pois, não pode ser igual para os dois. O juiz não vai ter trabalho mas o seu excelente vencimento. O Advogado coitado, fica sem honorários por produção e o mundo que é indiscutivelmente composto de o bem e o mal sem os quais não existe acaba. Então, temos que fazer assim: formarmos u"a tropa máxima de "puliticos"mesmo na forma de Maquiavel, (que dá tudo na mesma) para nos proteger lá no CN e assim termos poder de mando e não nos deixar faltar nada.

Iludido - Advogado autônomo

Iludido (Advogado Autônomo - Civil)

"Só ouço quem eu quero e v. não tem medalha e não é meu amado". Impressionante o rumo que a justiça brasileira está tomando. Será que vão copiar a jurisdição inglesa? Lá é primeira cultura e aqui é 3a. Iguais os desiguais. Nem o Criador fez isso, por isso, criou o famigerado purgatório para os medianeiros. Dizem os clássicos. A CF. já não é mais o fiel da balança e aliás já não é mesmo pois, o contrato social já faz 2016 anos, oxalá se já existia nos tempos do fenícios. Do jeito que vai, não teremos mais os Tribunais Superiores o que é muito bom. Com o preço do processo atualmente, é bom mesmo e mais economia para o coitadinho do dinheiro público, sempre atacado e nunca protegido. Em palavras outras, a culpa é de quem! SUA, SÓ SUA E DO PECADO MORTAL herdado segundo os iludidos. Hoje, só rico ou justiça gratuita em tese, levará um processo até o risco do 3o estádio. E só ver o custo e as despesas processuais-jurisdiconal no atual procedimento. Ad finalmente, é muito bom para um lado, outro péssimo. (hon.) PENSE NISSO!

O céu é o limite para esse pessoal

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Mais um workshop para criar regras superiores aos direito e garantias individuais previstos na Constituição.

Comentários encerrados em 30/08/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.