Consultor Jurídico

Notas Curtas

Por Leonardo Léllis

Blogs

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Oposição a Maduro

Mulheres de políticos venezuelanos presos buscam apoio em Brasília

As mulheres de políticos oposicionistas ao governo de Nicolás Maduro na Venezuela fizeram um périplo em Brasília em busca de apoio internacional contra a prisão de seus maridos. Mitzy Capriles de Ledesma (mulher de Antonio Ledezma, prefeito deposto de Caracas) e Lílian Tintori de López (mulher de Leopoldo López, líder da oposição) se encontraram nesta quinta-feira (7/5) com o ministro Gilmar Mendes, no exercício da presidência do Tribunal Superior Eleitoral, e Marcus Vinícius Furtado Coêlho, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil. “A cláusula democrática do Mercosul a todos inclui”, disse Mendes, em relação ao Protocolo de Ushuaia, assinado pelos países membros do bloco — entre eles, a Venezuela. Da OAB, elas conseguiram o compromisso de formação de uma comitiva internacional de advogados para uma missão ao país vizinho.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 7 de maio de 2015, 21h45

Comentários de leitores

3 comentários

Missão impossível

Silva Leite (Estudante de Direito)

As mulheres dos políticos venezuelanos oposicionistas, parece que vieram buscar apoio no país errado, pois o brasil comandado pelo PT, aliado da DITADURA CHAVISTA, não vai se posicionar contra a DITADURA NICOLAIS MADURO, sua escola política. A única diferença que existe entre o governo PETISTA e o governo VENEZUELANO é que lá a repressão é exercida com o uso da VIOLÊNCIA FÍSICA e aqui, não diferente, é exercida pelo ESVAZIAMENTO DOS COFRES PÚBLICOS,, desta forma não havendo dinheiro para investimentos, a sociedade se encontra OPRIMIDA PELO PÉSSIMO SERVIÇO OFERECIDO PELA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.

Quintal

JB (Outros)

É cada coisa que eu vejo para cima do Brasil que só não caio de costas porque estou sentado, cada um que cuide do seu quintal, já temos problemas demais e já adianto que o nosso país não pode fazer nada por esses políticos presos na Venezuela assim como não foi feito nada pela Indonésia no caso da execução daqueles dois brasileiros, cada um com sua pena.

Coitadas -

EDSON (Bacharel)

Coitadas - Estão batendo na porta errada. Correm o risco de serem presas e encaminhadas à Venezuela. Assim como foi feito com os atletas cubanos que pediram asilo nos jogos panamericanos. Esta é a ideologia que predomina.

Comentários encerrados em 15/05/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.