Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Tradição da corte

Solenidade no STJ homenageia três ministros aposentados

Os ministros aposentados do Superior Tribunal de Justiça Cesar Asfor Rocha, Hamilton Carvalhido e Massami Uyeda foram homenageados pela corte nesta quinta-feira (29/5). O tribunal organizou uma cerimônia que contou com a presença de magistrados ativos e aposentados, servidores e convidados.

Na ocasião, foi lançada uma coletânea com alguns dos julgados mais marcantes proferidos pelos homenageados em sua trajetória na corte. 

Escolhido pelo presidente do STJ, Felix Fischer, para falar em nome do tribunal, o ministro Napoleão Nunes Maia Filho destacou o privilégio de ter convivido com os três ministros. “Só hoje vemos como foi breve e tomamos ciência e consciência de como todos nós poderíamos ter haurido muito mais da sua convivência, das suas experiências e dos seus talentos”, disse.

Felix Fischer também discursou. “Com admirável proficiência exararam milhares de decisões”, disse o presidente, ao reconhecer a contribuição dos três magistrados para o STJ. Destacou, ainda, a gestão do ministro Cesar Asfor Rocha (biênio 2008-2010), na qual foi implantada a “revolucionária informatização do processo judicial”.

Cesar Rocha disse receber a homenagem com muita alegria, honra e saudade. “Só tenho grandes alegrias daqui, pelos amigos que fiz e pela contribuição que dei para o aprimoramento do Judiciário. É uma parte muito bonita da história da minha vida”, disse.

Massami Uyeda e Hamilton Carvalhido também agradeceram a homenagem e falaram do orgulho de fazer parte da história do Tribunal da Cidadania e da importância dessas cerimônias.

“Preservar a memória daqueles que passaram e que deixaram algum legado também serve de farol indicativo para as novas gerações, porque o trabalho de todos contribuiu para o fortalecimento da cidadania, que é o objetivo deste tribunal”, disse Massami Uyeda.

O ministro Carvalhido acrescentou: “É a reafirmação de um laço que nós não perdemos quando nos aposentamos. Isso significa preservar, zelar e promover os interesses deste tribunal, no sentido dos valores e dos princípios que presidem o STJ — valores éticos, valores sociais, valores pessoais. Estou consciente e certo de que eu continuo a pertencer ao STJ”.

No evento, os três homenageados receberam do presidente uma placa em reconhecimento pelo trabalho dedicado ao STJ. Com informações da assessoria de comunicação do STJ.

Revista Consultor Jurídico, 30 de maio de 2014, 16h40

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 07/06/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.