Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Competividade das economias

Ação anticrise não deve afetar trabalhador, diz Dilma

Em discurso na primeira sessão plenária da Cúpula Ibero-Americana, na Espanha, a presidente Dilma Rousseff defendeu na manhã deste sábado (17/11) maior cooperação entre países latinos e europeus para ampliar a competividade das economias. Segundo ela, a medida seria eficaz para o combate à crise financeira mundial. Dilma pediu, no entanto, que as ações a serem tomadas não prejudiquem os direitos do trabalhador. A reportagem foi publicada no site de notícias G1

Em sua fala, Dilma afirmou que o Brasil optou por medidas que mantiveram os níveis de desemprego baixos no país.

"Também fomos atingidos pela crise através da redução dos mercados internacionais, mas estamos ampliando investimentos públicos e privados. Reduzimos a carga tributária sobre folha de pagamento e fizemos a reforma previdenciária dos servidores públicos. A distribuição de renda sustentou o mercado interno. Temos logrado, assim, manter o desemprego em níveis bastante baixos."

A cúpula é formada por três países da Península Ibérica — Andorra, Espanha e Portugal — e outros 19 latinos: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Chile, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

"Não se pode existir cooperação [...] descuidando da proteção social e do trabalho decente, tal como definido no âmbito da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Nosso desafio consiste em buscar a competitividade por meio da inovação tecnológica, pelo aperfeiçoamento dos processos produtivos, da logística de distribuição, da redução da carga tributária e não, como tantas vezes no passado, pela precarização do trabalho, pela penalização do trabalhador e pela redução de direitos sociais, que comprometem as bases do nosso insipiente estado de bem-estar social. Desenvolvimento não se faz com desigualdade, desenvolvimento sustentável se faz com a justiça social", discursou.

Dilma participará na segunda-feira (19/11), às 16h30, do seminário "Brasil: no caminho do crescimento", promovido pelos jornais El País e Valor Econômico, com apoio da Secretaria de Comunicação da Presidência.

Revista Consultor Jurídico, 17 de novembro de 2012, 12h56

Comentários de leitores

2 comentários

Faça o que digo, mas não faça o que faço.

Gustavo Cezario (Serventuário)

No discurso é fácil dizer que tem que proteger o direito dos trabalhadores. Mas na hora de fazer valer suas falácias, é ferro nos servidores. Servidores do Poder Judiciário estão a SETE ANOS SEM REPOSIÇÃO. Isso é absurdo, inconstitucional, e a presidente adora, a meta é acabar com o judiciário, só pode ser. Ou é muita cara de pau ficar mentindo em evento público.

Falácia

Gustavo Ribas Alves (Assessor Técnico)

E qual a intenção da presidenta ao desvalorizar os servidores públicos? Não seriam eles trabalhadores também, presidenta??

Comentários encerrados em 25/11/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.