Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Novo no posto

Braz Martins Neto é o secretário-geral da OAB-SP

Braz Martins Neto - Spacca - SpaccaPor unanimidade, o Conselho Seccional de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil aprovou, nesta segunda-feira (28/2), o nome do advogado Braz Martins Neto para ocupar a vaga de secretário-geral da OAB-SP, e suceder Sidney Bortolato Alves, que morreu em 15 de dezembro de 2010.

Inicialmente, o nome de Martins Neto havia sido apresentado aos conselheiros pelo presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, para ocupar a vaga de conselheiro suplente, que ficou disponível porque Marco Antonio Mayer assumiu o cargo de ouvidor da Prefeitura de Suzano. Em seguida, foi apreciado para a vaga de conselheiro titular e, finalmente, de diretor da entidade.

D’Urso agradeceu a votação do Conselho, por considerar que Martins Neto “além de ser alguém com uma vasta folha de serviços prestados à advocacia, é um amigo de 30 anos, pessoa de minha absoluta confiança, que tem grande sinergia com os demais diretores e é capaz de levar a efeito as propostas de nossa gestão”.

Após agradecer o cargo e se declarar honrado, o novo conselheiro disse: “Vejo o cargo de secretário-geral como tendo uma característica de funcionalidade dentro da estrutura da Ordem. Estou disposto e preparado para abraçar os desafios da Secretaria-Geral”.

Segundo o presidente da entidade, ao montar a chapa que concorreu à eleição da OAB-SP em  2009, Braz Martins Neto já seria o secretário-geral, mas, por composição política, Sidney Bortolato Alves assumiu a Secretaria-Geral da OAB-SP e Martins Neto a diretoria-tesoureira da Caasp (Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo).

Segundo o presidente da Caasp, Fábio Romeu Canton Filho, o trabalho do novo secretário na Caixa foi rigoroso e “permitiu a manutenção e a ampliação dos serviços prestados à advocacia, que vão desde a concessão de auxílio pecuniário aos colegas carentes até a realização das campanhas de saúde, passando por uma série de benefícios”.

Braz Martins Neto tem 60 anos, é formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (1973), e atua especialmente em Direito Empresarial. Além de conselheiro estadual por duas gestões, foi presidente e corregedor do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB-SP, presidiu a Comissão de Estágio e Exame de Ordem da Seccional  Paulista e integrou a Comissão de Inscrição do Quinto Constitucional, Comissão de Acompanhamento das Negociações junto à Ordem Mundial do Comércio, Comissão de Assuntos do Judiciário e integrou pela OAB-SP várias bancas examinadoras para ingresso à Magistratura. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB de São Paulo.

Revista Consultor Jurídico, 28 de fevereiro de 2011, 16h41

Comentários de leitores

1 comentário

Há alguns anos...

José Guimarães (Professor Universitário - Trabalhista)

Em audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Braz Martins Neto foi indagado sobre a conceituação técnico-jurídica constitucional ou mesmo legal do exame de ordem.
Como não podia deixar de ser, não soube responder.
Ao menos dois detalhes devem ser registrados: primeiro, publicamente declarou que nunca tinha parado para refletir a ausência dessa conceituação; e, segundo, confessou que também não foi submetido ao exame de ordem.

Comentários encerrados em 08/03/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.