Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Honorários para procuradores

OAB pretende entrar como assistente na ação

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil pretende ingressar como assistente na Ação Direta de Inconstitucionalidade proposta pelo Ministério Público do Maranhão contra a Lei Orgânica da Procuradoria-Geral do estado, que permite aos procuradores receberem honorários de sucumbência. O pedido será encaminhado ao Tribunal de Justiça do Maranhão, onde tramita o processo.

O ingresso da OAB na ação foi votado e aprovado por unanimidade durante a sessão plenária da entidade, em Brasília, por proposição do conselheiro federal pelo Maranhão, Ulisses César Martins de Sousa. O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, afirmou que essa é uma das lutas históricas da entidade. A votação aconteceu nesta segunda-feira (21/2).

O dispositivo legal que tem sua constitucionalidade questionada na ação é o artigo 91 da Lei Complementar Estadual 20/94, a Lei Orgânica da Procuradoria-Geral do Estado. Segundo os promotores, os procuradores não têm direito aos honorários sucumbenciais, já que a Constituição Federal determina que eles sejam remunerado exclusivamente por meio de subsídio, sendo vedado qualquer acréscimo remuneratório. Com informações da Assessoria de Imprensa da Ordem dos Advogados do Brasil.

ADI 30.721/2010

Revista Consultor Jurídico, 23 de fevereiro de 2011, 8h40

Comentários de leitores

2 comentários

De que lado?

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

A notícia informa que "esta é uma luta histórica da OAB"? Bem, a OAB é contra o ADVOGADO receber HONORÁRIOS de SUCUMBÊNCIA? A OAB estará como ASSISTENTE da PGE-AM ou do MP? A notícia não está bem clara e deveria ser ouvido alguém da PGE-AM para informar em que termos a matéria (da sucumbência) está normatizada naquele Estado.

OAB não se preocupa com o piso salarial

daniel (Outros - Administrativa)

OAB não se preocupa com o piso salarial, afinal no Conselho Federal tem apenas advogado patrão e não advogado empregado.
Contudo, como há muitos advogados públicos no Conselho estas matérias de interesse específico de honorários DELES acaba prevalecendo.

Comentários encerrados em 03/03/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.