Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Preço da competição

Aquisição da Bloomberg acirra mercado jurídico

Por 

A compra da editora BNA pela Bloomberg por US$ 990 milhões — segundo o Washingtonian — um preço "de fazer cair o queixo" em comparação com a maior aquisição anterior, a da CQ Roll Call pelo grupo The Economist, que foi de US$ 100 milhões — acirrou a concorrência entre as gigantes da mídia pelo mercado de informações jurídicas, um setor que vem experimentando um boom nos últimos anos.

Em tempos de crise econômica, o mercado de informações financeiras por assinatura entra em baixa e as dificuldades podem ser compensadas pela oferta de informações jurídicas. "Nos últimos dois anos, a Bloomberg entrou agressivamente na arena de pesquisa jurídica, contratando advogados para ajudar a desenvolver um produto que organiza casos, legislação e outras informações para advogados", diz o The Wall Street Journal. O produto é a publicação Bloomberg Law.

Além da Bloomberg, que já publica a Bloomberg Law, e do The Economist Group, outros grupos entraram no mercado de informações jurídicas. A Reuters, que publica a Westlaw, adquiriu há dois anos o Indlaw.com e, no ano passado, a Revista dos Tribunais, no Brasil. A Reed Elsevier (LexisNexis) e a Dow Jones são outras duas grandes que passaram a olhar, além da Wall Street, o mundo jurídico.

Com a aquisição da BNA, a Bloomberg fica com mais de 300 serviços de notícias e informações especializadas, incluindo a Daily Labor Report, a U.S. Law Week e a Daily Report for Executives. Fundada em 1929, a BNA tem mais de 600 repórteres, advogados e editores, que publicam notícias, análises e pesquisas no setor jurídico, especialmente na área tributária. A BNA também publica livros e periódicos em conjunção com a American Bar Association (ABA – a Ordem dos Advogados dos EUA)", informa o ABAJournal.

A BNA vai funcionar como uma empresa independente, apesar da aquisição pela Bloomberg, diz o ABAJournal. Em 2010, a BNA teve receitas de US$ 331 milhões, com lucro líquido de US$ 27 milhões. Até agora, a empresa é propriedade de funcionários e ex-funcionários. A Bloomberg vai pagar aos acionistas US$ 39.50 por ação e espera concluir o processo de aquisição ainda este ano.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico nos Estados Unidos.

Revista Consultor Jurídico, 26 de agosto de 2011, 17h50

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 03/09/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.